Angola participa na XVIII Reunião do Órgão de Cooperação Política da SADC

João Lourenço (Foto: Pedro Parente)

Uma delegação angolana participa, entre 1 e 5 de Agosto, em Maputo, na XVIII reunião ordinária do Órgão de Cooperação política, defesa e segurança da SADC que irá avaliar a situação política, de defesa e segurança, bem como apreciar a estratégia regional sobre a violência baseada no género.

Esses documentos serão submetidos à próxima cimeira dos chefes de Estado da SADC, a realizar-se em Agosto, no Reino da Suazilândia.

A delegação angolana será chefiada pelo ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, que tem chegada a Maputo prevista para quarta-feira.

A XVIII reunião, que se sustenta no lema “Contribuindo para a paz, estabilidade e segurança na Região da SADC” vai apreciar também o desenvolvimento da crise política do Reino do Leshoto, o roteiro da paz que a SADC está a mediar no Madagáscar, a real situação política na República Democrática do Congo (RDC) e quais as decisões a tomar.

A reunião vai igualmente apreciar os relatórios relativamente à adesão da República do Burundi e das Ilhas Comores, juntando-se a Angola, África do Sul, Botswana, República Democrática do Congo, Leshoto, Madagáscar (actualmente suspenso), Malawi, Ilhas Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

Os peritos e funcionários diplomáticos dos países da SADC presentes na XVIII reunião de Maputo vão, entre segunda-feira e quarta-feira, olhar também para os assuntos correntes da organização regional, e as estratégias regionais de combate ao terrorismo, combate à imigração ilegal e à caça furtiva.

Outra questão a ser debatida tem a ver com o Protocolo de Livre Circulação de Pessoas e Bens, com vista a encontrar uma solução definitiva nesse domínio, que constitui factor importante no processo de integração regional.

A reunião vai também reafirmar o apoio à Pelonomi Venson-Moitoi do Botswana, que concorre à substituição da sul-africana Nkosazana Zuma na presidência da Comissão da União Africana (CUA), cuja eleição terá lugar em Janeiro de 2017, em Addis Abeba.

Angola vai olhar, com particular interesse, para a estratégia da pirataria marítima regional.

O ministro da Defesa Nacional, João Manuel Gonçalves Lourenço, deve participar na reunião extraordinária conjunta entre os ministros do órgão da SADC e as ministras da Família e Promoção da Mulher a decorrer na quinta-feira e sexta-feira, para analisar a situação da violência, baseada no género (GBV), na SADC.

Integram ainda a delegação angolana Filomena Delgado, ministra da Família e Promoção da Mulher, o secretário de Estado do Ministério do Interior, Bamóquina Zau, o director nacional da SADC pelo Ministério das Relações Exteriores, Sandro de Oliveira, e o segundo comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA