Angola conta com experiências de Moçambique para aderir zona de comércio livre da SADC

Fiel Constantino - Ministro do Comércio (Foto: F. Miudo)

A República de Angola vai contar com as experiências de Moçambique para aderir à zona de comércio livre da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).

A intenção foi manifestada esta quinta-feira, em Luanda, pelo ministro angolano do Comércio, Fiel Constantino, no final de um encontro que manteve com o homólogo de Moçambique, Ernesto Tonela.

Fiel Constantino referiu que a República de Moçambique constituí um caso de estudo que pode servir para preparar a entrada efectiva de Angola na zona do comércio livre da SADC, bem como possuí experiência para transmitir ao país por fazer parte da zona do comércio livre da SADC desde o ano 2000.

“Temos uma história comum e uma economia quase parecida do ponto de vista de crescimento e desenvolvimento com Moçambique. Foi bom trocar algumas impressões sobre as vantagens e desvantagens de aderir à zona de comércio livre da SADC”, afirmou o ministro.

Durante o encontro, os dois governantes abordaram também questões ligadas ao memorando de cooperação, entre os dois ministérios, assinado em 2013, para uma validade de três anos, que retrata a concertação metodológica, a organização e capacitação de quadros.

Tendo em conta o término de validade do memorando, explicou o governante angolano, prevê-se nos próximos tempos fazer uma actualização do documento para rever os termos de cooperação entre ambos os ministérios.

Por sua vez, o ministro da Indústria e Comércio de Moçambique, Ernesto Tonela, afirmou que o encontro foi proveitoso por permitir abordar questões que vão ajudar a aumentar as trocas comerciais entre os dois países.

Ernesto Tonela, que está em Luanda, desde quarta-feira última, para uma visita de trabalho no âmbito do reforço da cooperação existente entre os dois países, visitou igualmente o Pólo Industrial de Viana, onde tomou contacto com o funcionamento das fábricas “Nampak Bevcan Angola” (produção de latas para bebida), “Xuntong Internacional” (construção de infra-estruturas metálicas) e “Acail Angola” (gases industriais e de soldadura). (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA