Ambrósio de Lemos pede maior responsabilidade e transparência

Presidente da Mesa da Assembleia Geral, comandante-geral Ambrósio de Lemos (Foto: ANTÓNIO ESCRIVÃO)

O Presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Caixa de Providência do Pessoal da Polícia Nacional, comissário-geral Ambrósio de Lemos, pediu esta segunda-feira, em Luanda, sentido de responsabilidade, fidelidade e transparência na gestão dos recursos financeiros dos associados.

O responsável, que falava no acto de tomada de posse dos novos corpos directivos da Caixa, aconselhou-os a trabalhar melhor com os associados, porque todos os que prevaricarem “cairão nas malhas da justiça”.

Disse que os recursos são confiados a Caixa para que os associados tenham regalias, quer agora, como no futuro.

Considerou o acto de simples e significativo, pois como disse juraram para que o Cofre prossiga e consiga obter êxitos, no que toca a imobiliária saúde, segurança das famílias e das crianças nas creches.

Disse ainda esperar por uma mentalidade clara e renovada para que o Cofre tenha progressos e encontre um bom caminho, por isso apelou a um trabalho com zelo e dedicação.

Tomaram posse quinze membros do corpo directivo e fiscal eleitos na IX Assembleia-geral Ordinária, realizada em Julho deste ano.

O Cofre de Previdência do Pessoal da Polícia Nacional existe há mais de oito décadas, tendo sido criado no longínquo ano de 1933.

Na época existiam diversas outras associações mutualistas, tais como o Montepio Geral de Angola, a Caixa de Previdência do Pessoal dos Caminhos de Ferro de Benguela e outras, cujo objectivo era a protecção dos seus grupos profissionais.

Com a transição para a independência, a maior parte delas foi aos poucos desaparecendo, mas o CPPPN conseguiu atravessar por todas as vicissitudes deixadas pela saída de muitos portugueses e, para tal, contou bastante a experiência acumulada ao longo da sua existência.

Revitalizado em 2005, o CPPPN tem vindo a melhorar a sua prestação, com a remodelação do património herdado da época colonial e o desenvolvimento de novos projectos, o que tem ajudado na satisfação das necessidades mais prementes dos seus associados e servido de inspiração por parte de associações mutualistas de outros departamentos ministeriais.

O Cofre de Previdência do Pessoal da Polícia Nacional (CPPPN) tem por finalidade geral a expressão organizada da solidariedade e justiça entre os seus associados, assegurando a protecção social especial e complementar dos membros e suas respectivas famílias.

Nos últimos anos, a direcção tem priorizado o sector habitacional e negociar de forma a assegurar a edificação de infra-estruturas sociais com entidades público-privadas, a par do relançamento da oferta de micro-crédito com instituições especializadas para o efeito. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA