Aconselhamento jurídico vai ajudar na solução dos conflitos das famílias carentes

Carolina Cerqueira - ministra da cultura (Foto: Joaquina Bento)

A vice-presidente da Organização Panafricana das Mulheres para África Austral (OPM), Carolina Cerqueira, garantiu hoje, em Luanda, que as senhoras angolanas, carenciadas e desfavorecidas, vão doravante contar com a ajuda de um ambicioso projecto de aconselhamento jurídico, no sentido de verem solucionados os seus conflitos familiares.

Ao intervir no acto de lançamento do Projecto de Aconselhamento Jurídico “ Vida é Amor “, no Largo da Família, distrito urbano do Rangel, a dirigente disse que a iniciativa não vai apenas satisfazer a necessidade das mulheres, mas todos os cidadãos que precisarem de orientações de como recorrerem aos órgãos de justiça, para resolverem conflitos judiciais.

Frisou que a actividade está a ser promovida com base na orientação do Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, saída no VII Congresso do MPLA, na qualidade de Presidente do partido, no qual a sociedade civil, as organizações e igrejas, se empenhassem na defesa dos direitos, da promoção da família em Angola, se tomasse medidas e iniciativa de forma apoiar o desenvolvimento saudável das crianças.

Segundo, Carolina Cerqueira são também questões como o não assumir da paternidade por parte dos pais, crianças sem escolaridade consequentemente e permanente, com famílias pobres, que levou a união de algumas instituições para que a família angolana se desenvolva mais estruturada.

Deu a conhecer que numa primeira fase vão procurar identificar os problemas, fazer avaliação, o alargamento e crescimento para outras zonas do país.

A iniciativa tem como objectivo educar, aconselhar, conciliar, informar, orientar, divulgar (família e o cidadão sobre os seus direitos), ajudar (a resolver os conflitos familiares), assistência jurídica e sensibilizar a não violência).

O projecto pretende abranger mulheres da periferia e desfavorecidas, meninas carenciadas, famílias das carenciadas e mães solteiras. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA