Abertura de mercados: EUA dão arranque positivo às bolsas europeias

(Negocios)

O primeiro dia de Agosto começa positivo, com a expectativa de um travão na subida dos juros na maior economia do mundo. Os activos que estão em terreno negativo, como o euro e o petróleo, perdem muito ligeiramente.

Os mercados em números

PSI-20 soma 1,61% para 4.824,18 pontos

Stoxx 600 avança 0,46% para 343,47 pontos

Nikkei ganha 0,40% para 16.635,77 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 1,8 pontos base para 2,916%

Euro desvaloriza 0,07% para 1,1166 dólares

Petróleo em Londres recua 0,02% para 43,52 dólares

Bolsas europeias ganham

Julho foi um bom mês para as bolsas, mais uma vez por conta da expectativa relacionada com estímulos à economia. Agosto começa com as bolsas em alta, também com essa expectativa depois de, na sexta-feira, os Estados Unidos mostrarem um crescimento mais baixo do que o previsto (1,2% face a 2,5% antecipados). O que antecipa um travão na subida de juros na maior economia do mundo.

As praças asiáticas avançaram e foi esse o embalo que se sentiu na Europa, onde as bolsas seguem a tendência do mês anterior. Lisboa é quem marca a maior subida, de 1,61%, graças à forte valorização do BCP.

No fim-de-semana, o banco anunciou que a Fosun está disponível para investir 500 milhões de euros para ficar até com 30% do banco, o que está a fazer com que as acções avancem mais de 10% para valer mais de 2 cêntimos por acção. EDP, Mota-Engil e CTT ganham também mais de 1%.

Juros da dívida portuguesa cedem

Os juros implícitos da dívida portuguesa estão a cair em praticamente todos os prazos. A tendência de alívio é extensível a todos os países da Europa periférica, casos da Europa e Itália. Já Alemanha segue com um ligeiro avanço das “yields”.

No caso português, a taxa de juro associada à dívida portuguesa no prazo a dez anos perde 1,8 pontos base para 2,916%, segundo as taxas genéricas da Bloomberg.

Euro cai depois de semana em alta

O euro segue em baixa. Esteve, na semana passada, três dias em alta contra o dólar americano. Esta semana começa em correcção mas muito ligeira. O euro perde 0,07% para 1,1166 dólares.

O mesmo acontece com o iene. A moeda nipónica perde face ao dólar depois de se ter valorizado 4% em relação à divisa americana.

Petróleo em queda ligeira

Ao contrário das bolsas, o petróleo teve, em Julho, um mês negativo. E Agosto começa com uma nova queda, embora muito pouco expressiva.

Em Londres, o Brent do Mar do Norte perde muito ligeiramente, 0,02% para 43,52 dólares por barril. Em Nova Iorque, o crude nova iorquino West Texas Intermediate negoceia em 41,49 dólares por barril, um deslize de 0,26%.

Ouro perto de máximos de duas semanas

É também com uma ligeira quebra que segue o ouro. O metal precioso cede 0,28% para 1.347,47 dólares por onça, depois de ganhar mais de 1% na sexta-feira passada. Apesar do recuo, continua no valor mais alto em duas semanas, o que se deve à especulação, segundo a Bloomberg, de que não haverá uma subida expressiva dos juros na maior economia do mundo – devido ao facto de o crescimento do PIB no último trimestre ter sido de 1,2%, abaixo dos 2,5% esperados.

Destaques do dia

Fosun paga 500 milhões para ficar com o BCP. Os chineses da Fosun mostraram vontade de investir no BCP. Segundo noticia o Negócios, a gestão do banco vê a operação com bons olhos.

Novo Banco regista prejuízos de 362,6 milhões. O resultado líquido do banco até ontem liderado por Eduardo Stock da Cunha no primeiro semestre é mais negativo do que o registado um ano antes, onde se situou em 251,9 milhões.

Valor final das obrigações de retalho é revelado esta segunda-feira. As Finanças têm até esta segunda-feira para revelar qual o valor em que vão fixar a emissão das obrigações para o retalho.

Navigator quer decidir sobre investimento em Cacia até final de Outubro. O grupo ainda aguarda por uma resposta da AICEP para decidir se avança com um investimento de 120 milhões de euros na sua fábrica da Cacia. O objectivo é tomar a decisão até ao fim de Outubro.

O que vai acontecer hoje

EUA

Divulgação do índice PMI da Markit para a indústria, referente a Julho

Divulgação do índice ISM para a indústria referente a Julho [anterior 53,2 pontos; Estimativa 53 pontos]

Divulgação dos dados sobre os gastos da construção , em Julho [anterior -0,8; Estimativa 0,5]

Zona Euro

Divulgação do índice PMI da indústria, referente a Julho [anterior 52,8]

Heineken apresenta os resultados de segundo trimestre

Veolia divulga os resultados do segundo trimestre

Porsche apresenta os resultados do segundo trimestre

Air Liquide apresenta os resultados do segundo trimestre. (Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA