Zaire: Secretária de Estado das Pescas lança repto aos empresários

Secretária de Estado das Pescas, Maria Antónia Nelumba (Foto: ANGOP/ARQUIVO)

A secretária de Estado das Pescas, Maria Antónia Nelumba, convidou quinta-feira, no município do Soyo, província do Zaire, os empresários nacionais e estrangeiros no sentido de investirem no sector pesqueiro, contribuindo nos esforços do Executivo angolano de diversificação da economia nacional.

Ao falar à imprensa, no final de um encontro que manteve com os empresários e armadores locais, no quadro da sua visita de 72 horas ao Zaire, aconselhou os empresários a cumprirem escrupulosamente com o que está legislado, elaborando projectos exequíveis para que possam ter acesso ao crédito bancário.

Admitiu existir, a nível do sector das pescas, áreas que devem ser exploradas para relançar esta actividade, tendo destacado a construção de centros pesqueiros, reparação de navios, edificação de lojas para a venda de artefactos e áreas para conservação de pescado.

“Temos muitos pescadores desprovidos de meios e outros artefactos de pescas, que com crédito podem adquirir estes materiais aqui no país”, referiu.

Para a responsável, o sector das pescas a nível desta parcela do território nacional precisa de um empresariado forte e dinâmico, capaz de importar materiais e coloca-los à disposição dos pescadores.

“O trabalho do pescador é lançar-se ao mar para pescar. Mas para pescar tem que haver uma série de serviços para rentabilizar a sua actividade”, asseverou.

Disse por outro lado que em função da produção do pescado que se assiste um pouco por todo o país urge a necessidade de se investir seriamente nas infra-estruturas pesqueiras, com realce para câmaras de frio e pequenas indústrias de processamento e corte de peixe.

Adiantou existir um programa ao nível do Ministério das Pescas, que prevê a reabilitação das infra-estruturas pesqueiras da província do Zaire, através de um financiamento do Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD).

Reiterou o empenho do seu sector em continuar a apoiar com micro créditos as mulheres processadoras de pescado a nível do território nacional, visando melhorar, cada vez mais, a vida destas e das suas famílias. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA