UA: Orçamento domina trabalhos do Conselho Executivo

Sala geral da 27ª reunião Ordinária do Conselho Executivo da União Africana (Foto: Francisco Miúdo)

Os trabalhos da 29ª Sessão Ordinária do Conselho Executivo da União Africana iniciada na terça-feira no Centro de Convenções de Kigali, Ruanda, prosseguem hoje com a análise dos documentos submetidos pelos peritos com destaque para a discussão de questões ligadas à eleição do novo presidente da comissão da União Africana e do orçamento da organização.

Inserida nos trabalhos preparatórios da 27ª Cimeira de Chefes de Estado da União Africana que vai decorrer neste cidade de 17 a 18 do corrente mês, o conselho executivo conta com a presença da actual presidente da Comissão Africana, Dlamini Zuma.

O espírito da reunião foi orientado pelas palavras de um dos membros fundadores da Organização da Unidade Africana (OUA), o pan-africanista Kwameh Nkrumah, que foi citado pela presidente da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini Zuma, no seu discurso de abertura afirmando: “Se queremos ser livres, se quisermos desfrutar de todos os benefícios de recursos de África, devemos estar unidos para planearmos na totalidade a nossa defesa e a plena exploração da nossa meios materiais e humanos no pleno interesse de todos os nossos povos”.

Acrescentou que se o continente continuar a caminhar sozinho limitará os horizontes, diminuirá as expectativas e a liberdade será ameaçada.

Na ocasião transmitiu uma saudação especial a todos os novos membros que se juntaram ao Conselho Executivo pela primeira vez.

Reiterou o compromisso da UA em continuar a apoiar os esforços de paz no continente.

De acordo com Dlamini Zuma, sem um foco em agregação de valor e fabricação, África vai deixar de criar os empregos necessários para absorver os milhões de homens e mulheres jovens que unem os seus mercados de trabalho a cada ano para colher o dividendo demográfico de uma população jovem em crescimento.

Nessa sessão o ministro das Relações Exteriores da República do Chade e Presidente do Conselho Executivo, Moussa Faki Mahamat, delineou as actividades e agenda do Conselho Executivo que inclui; consideração do relatório do financiamento da União África, paz e segurança com o Sudão do Sul como uma questão candente, relatório da República Popular da China sobre o orçamento de 2017, o caso de Hissène Habir e do Tribunal Penal Internacional (TPI) e a eleição de quatro juízes do Tribunal Africano dos Direitos Humanos e dos Povos.

Angola faz-se representar neste encontro com uma delegação encabeçada pelo secretário de Estado das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

A 27ª Cimeira da União Africana decorre sob o tema: “2016: Ano Africano dos Direitos Humanos com especial incidência sobre os Direitos das Mulheres”. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA