Tour de Froome, mais uma vez

(Foto: Jean-Paul Pelissier/Reuters)

O ciclista britânico confirmou hoje o terceiro triunfo na Volta a França, após a 21.ª e última etapa, ganha pelo alemão Andre Greipel (Lotto-Soudal) ao ‘sprint’.

Nos Campos Elísios, em Paris, 113 quilómetros após a partida em Chantilly, Greipel, tal como em 2015, foi o mais forte, cortando a meta em 2:43.09 horas, à frente do eslovaco Peter Sagan (Tinkoff) e do norueguês Alexander Kristoff (Katusha).

Chris Froome repetiu os triunfos de 2013 e 2015, terminando a a prova à frente do francês Romain Bardet (AG2R) e do colombiano Nairo Quintana (Movistar).

O ciclista britânico nascido no Quénia vestiu pela terceira vez a camisola amarela em Paris e juntou-se a um grupo restritos com três triunfos na ‘Grand Boucle’ e ficou a apenas dois dos recordistas Jacques Anquetil, Eddy Merckx, Bernard Hinault e Miguel Indurain — algo que não parece impossível, caso mantenha a superioridade que demonstrou este ano.

“É um sentimento absolutamente fantástico. É um privilégio estar nesta posição”, disse Froome, que elogiou o trabalho dos seus companheiros, considerando a Sky “a mais forte equipa”, apesar de ter sido a Movistar a vencer o prémio coletivo.

Quando questionado sobre o grande momento da Volta a França, embora reconheça que era difícil escolher, Froome apontou para a subida ao Mount Ventoux, em que após uma queda que lhe danificou a bicicleta correu até lhe entregarem uma nova. (TSF)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA