Theresa May e Angela Merkel juntas em Berlim e nos laços de ambos os países

(Stefanie Loos/Reuters)

Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido há uma semana, escolheu Berlim como destino da sua primeira visita oficial ao estrangeiro.

Num encontro prévio com a chanceler alemã, Angela Merkel, o Brexit esteve em cima da mesa como assunto premente, para além de outros assuntos na agenda internacional como migração, a luta contra o Daesh ou a situação na Turquia, sobre os quais se debruçariam durante o jantar, foi dito na conferência de imprensa com ambas.

Também ambas reforçaram nos breves discursos a vontade de preservar a ligação entre os dois países para além da saída do Reino Unido da União Europeia.

Merkel declarou: “Gostava de sublinhar mais uma vez que independentemente da decisão do povo do Reino Unido para sair da união Europeia, há laços fortes e uma forte parceria e amizade entre a Alemanha e o Reino Unido.”

Já Theresa May, depois de um simpático agradecimento à anfitriã na sua Língua materna, disse: “Claro que a natureza do nosso relacionamento vai mudar quando o Reino Unido sair da União Europeia. Mas ambas queremos manter uma relação económica o mais estreita possível entre os nossos países. E acredito que é isso que os negócios alemães e britânicos querem também. Assim, é bom que comecemos de um alicerce tão forte e com uma posição em que ambos os países acreditam em mercados liberais e comércio livre. E estes devem ser os princípios orientadores das discussões futuras.”

Em Berlim, May afirmou mais uma vez que as negociações da saída do Reino Unido da UE não começarão este ano. Merkel sublinhou que um plano de saída, devidamente pensado e congruente era a necessidade da União Europeia face ao Reino Unido, acrescentando ainda que os 27 Estados membros deveriam estar preparados para o discutir a uma só voz.

Ainda no parlamento britânico esta manhã, Theresa May respondeu pela primeira vez às perguntas enquanto primeira-ministra, dizendo que a saída da UE deve redundar num sucesso e anunciando que o Reino Unido não presidirá ao Conselho Europeu como previsto.
Disse ainda que a saída da União Europeia não era sinónimo de sair da Europa, significando a possiblidade de um reforço em termos de acordos com os vizinhos europeus, para além de, disse May, as relações britânicas não se reduzirem à esfera europeia, mas sim a todos os países do mundo.

Na quinta feira Theresa May estará em Paris para reunir com François Hollande. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA