Theresa May deve ser a próxima primeira-ministra britânica

Andrea Leadsom falou esta manhã aos jornalistas em Londres (ANDY RAIN/EPA)

Andrea Leadsom desistiu da corrida à liderança do Partido Conservador. Theresa May está cada vez mais perto de entrar em Downing Street. Graham Brady já confirmou que May fica sozinha na corrida.

Theresa May deve ser a próxima primeira-ministra britânica. A única concorrente que restava na corrida à liderança do Partido Conservador britânico, Andrea Leadsom, desistiu. Numa declaração esta manhã, em Londres, Leadsom disse que “os resultados do referendo demonstraram uma vontade de mudança” por parte do povo britânico.

Por isso, explica, “é necessária uma liderança forte”. Andrea Leadsom revela que “Theresa May tem cerca de 60% dos apoios dentro do partido” e, além disso, já “prometeu” que irá cumprir a vontade do povo britânico.

“Não considero que tenha apoio suficiente para liderar um governo se vencer a eleição”, disse.

“Concluo que o interesse do nosso país fica mais bem servido pela nomeação imediata de um novo primeiro-ministro”, rematou Leadsom, terminando com: “Desejo a Theresa May a melhor das sortes”.

Graham Brady, líder do comité do Partido Conservador, disse que “não há necessidade de repetir a eleição” e sublinhou que, com uma única candidata a restar na corrida, falta apenas a confirmação formal de Theresa May.

Leadsom e Theresa May eram as duas candidatas a suceder a David Cameron na liderança do Partido Conservador, e já era assumido que o Reino Unido iria ter uma primeira-ministra.

A candidata pediu esta segunda-feira desculpa à concorrente, Theresa May, por ter considerado que ser mãe a fez uma candidata melhor. “Já disse a Theresa o quão arrependida estou por a ter magoado”, disse ao Daily Telegraph. (OBSERVADOR)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA