Sindicalistas acusam petrolífera ENSCO de violar direitos dos trabalhadores

(Drillingcontractor)

A ENSCO International Incorporated, que opera em Angola na perfuração offshore, despediu toda a Comissão Sindical Central, alegadamente por reclamar um ajuste salarial, em função da alteração cambial, uma vez que o salário é estabelecido em dólares mas convertidos em moeda nacional.

Os sindicalistas acusam a companhia de violar os direitos dos trabalhadores.

Finda Midi, primeiro secretário sindical, também expulso, denuncia a direcção daquela empresa de agir de forma “de forma prepotente ao ter decidido de forma unilateral despedir a comissão sindical”.

Midi acusa ainda a empresa de “estar a violar direitos dos trabalhadores”.

A VOA contactou José Cupessala, director-geral adjunto da ENSCO International Incorporated, que disse não ter autorização para falar sobre o assunto.

A companhia dedica-se à perfuração de poços de petróleo e gás offshore no mercado nacional e internacional e fornece as suas plataformas de perfuração e equipas ao abrigo de contratos com grandes empresas internacionais. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA