SATEC consome mais de seis mil toneladas de algodão ano

Camisolas produzidas pela Fabrica Satec (Foto: Lino Guimarães)

A nova fábrica da Sociedade Angolana de Tecidos e Confecções (SATEC), cujo empreendimento foi recentemente edificado na cidade do Dondo, município de Cambambe, província do Cuanza Norte, vai consumir anualmente seis mil e 300 toneladas de algodão.

Para o seu normal funcionamento, em três turnos, a nova unidade fabril do sector da indústria têxtil, a principal matéria-prima será, numa primeira fase, importada da Índia e Grécia.

Em reconstrução desde 2013, devido à sua paralisação por degradação dos equipamentos, a antiga unidade fabril foi demolida e, no mesmo recinto, edificada uma nova com duas naves, uma para fabricação de tecidos e outra para confecções de roupas, com previsões de arrancarem em Agosto ou Setembro próximo.

Orçada em 420 milhões de dólares norte-americanos, um financiamento do governo japonês, a SATEC ocupa superfície de 88 mil metros quadrados, congrega serviços de fiação, malharia, tingimento, acabamento e confecção de roupas e uma área para a fabricação de tecidos “jeans”.

A primeira linha possui uma capacidade instalada para produzir, mensalmente, em três turnos, 180 mil camisolas, 150 mil camisas, enquanto a segunda produzirá, em igual período e turnos, 480 mil metros de tecidos jeans.

Reabilitada no quadro do programa do Executivo de relançamento do sector industrial do país, marcado pela modernização das antigas unidades fabris, no âmbito da diversificação da economia, bem como pelo objectivo de redução das importações, a fábrica vai proporcionar emprego a pelo menos 1500 angolanos.

Segundo o director comercial da empresa japonesa Marubeni Corporation, que construiu e apetrechou a Satec, Akira Nanao, a fábrica encontra-se actualmente em período de ensaio e ajuste de equipamentos, enquanto 500 futuros trabalhadores terminaram já a formação “on-job” e 100 outros irão concluir no final deste mês.

Energia

Como fonte alternativa, na nova unidade fabril foi instalado um grupo de sete geradores com capacidade de 1,5 megawatts cada e que, simultaneamente, vão operar seis geradores e um em stand-by.

Água

Para assegurar o normal abastecimento de água à fábrica, foram feitos cinco furos com 130 metros de profundidade e 50 metros cúbicos cada. A fábrica vai consumir diariamente três mil litros cúbicos de água.

Estão igualmente instalados equipamentos para o tratamento da água proveniente dos furos.

Metas

A reabilitação da fábrica SATEC é da responsabilidade do Ministério da Indústria e é parte de um financiamento do governo japonês, avaliado em 1,15 mil milhões de dólares, também destinado à recuperação da Textang, em Luanda, e da África Têxtil, em Benguela. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA