República Sarahui e Angola reforçam intercâmbio parlamentar

Presidente da A.Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, recebe embaixador da República Árabe Sarahui (Foto: Francisco Miúdo)

O embaixador extraordinário e plenipotenciário da República Árabe Sarahui Democrática acreditado em Angola, Bah Cheikh Mohamed, realçou nesta terça-feira, em Luanda, crucial o intercâmbio entre as instituições parlamentares da República de Angola e do seu país, para o desenvolvimento das nações.

O desiderato do diplomata foi manifestado durante a audiência que lhe foi concedida pelo presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, afirmando que o seu interlocutor anuiu também tal pressuposto.

Considerou importante o intercâmbio na diplomacia parlamentar nas relações entre as nações.

“Angola tem uma vasta experiência em termos de acção parlamentar e será uma mais-valia para o parlamento sarahui adquirir também esta experiência nos vários sectores”, expressou Bah Cheikh Mohamed.

Disse estar convencido que existe também um grande trabalho a fazer entre os dois países ao nível do parlamento Pan-africano, para o interesse de todas as nações africanas.

O embaixador extraordinário e plenipotenciário reiterou igualmente o apoio contínuo e solidariedade de Angola à autodeterminação da causa sarahui.

O reconhecimento da República Árabe Saharaui Democrática (também chamada RASD ou República Saharaui) não é tema de consenso na comunidade internacional. Actualmente, a República Saharaui é reconhecida por 46 dos 193 países da ONU, o que corresponde a 23 porcento dos países membros das Nações Unidas.

A República Árabe Saharaui Democrática (RASD) foi proclamada a 27 de Fevereiro de 1976 pela Frente Polisário, organização que luta pela soberania do povo saharaui e pela independência do Sahara Ocidental.

A Frente Polisário controla entre 20 e 25 porcento do território do Sahara Ocidental e Marrocos controla os restantes (75 a 80 porcento) do território.

Embora se encontre sob disputa entre a auto-proclamada República Saharaui e o governo central de Marrocos, o território do Sahara Ocidental, à luz do direito internacional, tem até hoje a Espanha como administrador, país colonizador, constando ainda o território do Sahara Ocidental na lista da Organização das Nações Unidas (ONU) de territórios ainda não descolonizados. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA