Remédio ministrado na escola leva crianças ao hospital no Sumbe

Centro Infantil de Pomba Nova, Sumbe, Kwanza Sul (VOA)

Cerca de duas dezenas de alunos na cidade do Sumbe, na província angolana de Kwanza Sul tiveram de ir à Pediatria do hospital depois de terem tomado um remédio alegadamente para desparasitação, denominado paraziquentel.

Beckas Batalha, de apenas 9 anos de idade, está internado nos cuidados intensivos debatendo-se entre a vida e morte por ter sido obrigado a tomar paraziquentel na escola na periferia da cidade.

Há pouco menos de cinco dias, o secretário provincial da UNITA no Kwnza Sul Raul Teixeira chamou atenção das autoridades locais, pais e encarregados de educação para o perigo que o remédio estava provocar nas crianças.

As autoridades não terão levado o aviso a sério.

Junto dos professores o silêncio é total, numa altura em que pairam no ar ameaças de despedimentos.

A pediatra Andreza Diogo desdramatiza a situação e diz que não se pode colocar em causa o trabalho dos especialistas.

Por sua vez, o secretário provincial da CASA-CE Domingos Francisco Sobral disse à VOA ser necessário responsabilizar o Governo e pede “que as autoridades da saúde sejam honestos na sua investigação e venham a público esclarecer o caso”.

O paraziquentel é ministrado a pessoas com esquistossomose ou bilharziose,um tipo de infecção causada por parasitas que vivem em água doce como rios ou lagos em regiões tropicais e subtropicais.

A doença, segundo especialistas está associada a pobreza, superlotação, falta de saneamento e de água potável e de serviços medicos,sendo um problema de saúde muito sério para aqueles que já são vulneráveis devido a desnutrição ou desidratação. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA