Rede informática de Clinton e dos Democratas pirateada mas a candidata à Casa Branca não “baixa a guarda”

(EURONEWS)

Depois de ser escolhida pelos Democratas, e de aceitar ser a candidata à Casa Branca, Hillary Clinton regressou à estrada.

Um recomeço atribulado para Clinton que viu a sua rede informática ser pirateada, como parte de um ciberataque mais alargado à estrutura Democrata.

Uma ação que acontece depois de Donald Trump incitar a Rússia, num dos seus discursos, a piratear as contas privadas de correio electrónico de Clinton, para encontrar os 33 mil emails que desapareceram, e publicarem o seu conteúdo.

À margem desta situação Clinton continua os ataques ao seu opositor:

“Eu não reconheço o país que Donald Trump descreve. Eu não reconheço o mau caráter, o lado quadrado, a arrogância e o “bullying”. Eu não reconheço porque não é assim que nós americanos somos”, afirmou Clinton.

Já Donald Trump manteve o seu discurso sereno mas com as suas famosas e já conhecidas provocações.

“Eu tenho sido simpático. Mas depois de assistir ao discurso da noite passada, as mentiras, não preciso de continuar a ser simpático. Posso perder a compostura não posso? Posso defender-me?” – Perguntou Trump.

Enquanto uma sondagem, apresentada na sexta-feira, dá uma vantagem de seis pontos percentuais a Hillary Clinton, Donald Trump continua centrar-se na sua visão mais negativa da situação atual do país e, entre outras coisas, na sua luta contra a imigração.

“Donald Trump tem pintado uma imagem escura, dividida, da América. Temos 102 dias para impedi-lo de se tornar presidente, Hillary Clinton”. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA