Prémio de risco da dívida portuguesa cai pela primeira vez em seis dias

(Reuters)

Os juros das obrigações portuguesas estão a recuar em todos os prazos, a corrigirem do maior ciclo de ganhos em cinco meses. Investidores aguardam decisões do Ecofin na reunião desta terça-feira.

Os juros das obrigações portuguesas estão a corrigir pela primeira vez em seis sessões, depois das “yields” nacionais terem registado o maior ciclo de subidas nos últimos cinco meses. Num dia em que o tema das sanções a Portugal volta a estar em cima da mesa, a taxa de juro de referência segue a negociar abaixo de 3,10%.

Os juros portugueses estão a baixar em todos os prazos, com a “yield” a dez anos de Portugal a recuar 1,4 pontos base para 3,097%. Os investidores estão a aguardar as decisões dos ministros das Finanças da União Europeia, que se reúnem esta terça-feira, 12 de Julho, para voltar a debater a implementação de sanções a Portugal e Espanha.

A reunião do Ecofin decorre depois de os ministros das Finanças da Zona Euro terem decidido ontem, de forma “unânime”, aprovar as recomendações da Comissão Europeia, que conclui que Portugal não tomou “medidas eficazes” para colocar o défice abaixo de 3%. Segue-se a fase de possíveis sanções.

Depois de o Ecofin decidir hoje aprovar as recomendações da Comissão abre-se uma nova etapa. Nos próximos 20 dias a Comissão vai decidir se aplica, ou não, sanções a Portugal e Espanha, uma possibilidade que tem mantido os juros nacionais sob pressão nos últimos dias.

“Spread” baixa

A descida dos juros esta manhã está a ser acompanhada por uma correcção do diferencial face à dívida alemã. O prémio de risco cai para 323,80 pontos, numa sessão em que as “bunds” estão a subir perto de três pontos base para os -0,139%.

A recuperação dos mercados accionistas nos últimos quatro dias tem estado a pressionar os activos que oferecem maior segurança, como é o caso das obrigações alemãs e do ouro. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA