O apoio que faltava: Barack Obama ao lado de Hillary Clinton na CND

(EURONEWS)

Ao terceiro dia da Convenção Nacional Democrata (CND), os americanos em Filadélfia quase faziam a casa vir abaixo quando Obama subiu ao palco para discursar.

Numa rejeição da mensagem republicana de ódio, e dizendo que Donald Trump não faz mais do que instalar o medo para ganhar votos, o Presidente dos Estados Unidos fez de Hillary a herdeira do seu legado, reforçando que é a mais qualificada. Mais que Bill Clinton ou que o próprio Obama, disse.

Se Trump nunca desempenhou qualquer função de serviço público, já de Hillary não diz Obama o mesmo: “Nada nos prepara realmente para as exigências da Sala Oval. Pode ler-se sobre isso. Pode estudar-se o assunto. Até nos sentarmos àquela secretária, não se sabe o que é gerir uma crise global ou mandar jovens para a guerra. Mas a Hillary já esteve na Sala, ela já fez parte dessas decisões.”

Foi a cada um dos americanos, sem excepção que Obama apelou para que fizessem de Hillary a próxima presidente dos Estados Unidos:

“Pretos, brancos, latinos, asiáticos, americanos nativos, jovens, velhos, homossexuais, heterossexuais, homens, mulheres, incapacitados jurando lealdade sob a mesma orgulhosa bandeira a este país grande e ousado que nós amamos. é isso que eu vejo, é essa a América que conheço.
E só há uma candidata nesta corrida que acredita nesse futuro, dedicou a sua vida a esse futuro, uma mãe e uma avó que faria qualquer coisa para os nossos filhos crescerem. Uma líder com planos concretos para quebrar barreiras e estilhaçar telhados de vidros e aumentar as oportunidades de cada um dos americanos: a próxima presidente dos Estados Unidos, Hillary Clinton.”

Barack Obama inequivocamente ao lado de Hillary Clinton na corrida à Casa Branca face ao rival republicano Donald Trump.

Obama disse ainda que mais do que escolher partidos ou políticas, estas eleições tratavam de saber quem são os americanos enquanto pessoas e se seriam fiéis à grande experiência americana de auto-gestão.

Tim Kaine, candidato democrata a vice presidente aceitou hoje formalmente a sua nomeação. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA