Número de detidos na Turquia durante tentativa de golpe supera 1.500 pessoas

(AP Photo/ Burhan Ozbilici)

Já são 1.563 os militares detidos na Turquia, comunica a agência Reuters citando um oficial turco.

De acordo com a fonte, a maioria dos detidos são oficiais subalternos.

Cerca de 200 militares desarmados abandonaram os quartéis-generais em Ancara e se entregaram à policia, comunica a média local.

O Ministério do Interior da Turquia tinha comunicado que o exército conseguiu deter 754 militares que estiveram envolvidos no fracassado golpe militar no país, incluindo 5 generais e 29 coronéis.

Além disso, segundo fontes locais, o número de mortos aumentou para 90 pessoas, cerca de 1.100 pessoas ficaram feridas.

Segundo a Organização Nacional de Inteligência, a tentativa de golpe na Turquia foi empreendida pelo comando da Aeronáutica e da polícia militar.

O golpe do Estado foi encabeçado pelo coronel Muharrem Kose, oficial turco afastado das suas funções em maio de 2016 devido à sua ligação com o clérigo oposicionista Fethulalh Gulen.

Durante a noite, os envolvidos no golpe atacaram uma série de instalações em Ancara, inclusive o prédio do Estado Maior, sedes da polícia, do ministério do Interior e do parlamento. O parlamento também sofreu ataques aéreos, deixando um número ainda desconhecido de feridos.

Depois do apelo do presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, as ruas das principais cidades da Turquia foram tomadas por milhares de pessoas contrárias ao golpe militar. Na praça Taksim, em Istambul, os militares dispararam contra os manifestantes, que protestavam contra a intervenção do exército. Os dados sobre mortos e feridos ainda não foram compilados, segundo informa a emissora NTV, mas pelos menos 6 pessoas morreram durante os tumultos em Istambul. Segundo a agência Anadolu, 17 policiais morreram em Ancara.

Após algumas horas, desde o início da tentativa de golpe, a Organização Nacional de Inteligência da Turquia informou que a situação no país “voltou a normalidade”. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA