Município de Belas realiza trabalho paliativo na rua principal do Camama

Obras nas estradas de Luanda (Arquivo) (Foto: Angop)

A administração do município de Belas, em Luanda, realiza nos últimos dias, trabalhos de tapa buracos, terraplanagem e retenção de ravinas com vista a mitigar os constrangimentos que possam surgir durante o período chuvoso.

Em declarações hoje à Angop, a administradora Adjunta para a Área Social e Politica do Belas, Antónia Ferreira, disse que algumas áreas consideradas criticas, como a rua principal do Camama, estão a ser intervencionadas com trabalhos paliativos de tapa buracos, dirigidos pela área técnica da administração.

Devido a importância da via para a fluidez do trânsito e acesso a Cidade do Kilamba, Via Expressa, Golfe, Viana e Talatona, esclareceu a responsável, a recuperação da estrada é de responsabilidade central, por isso a administração realiza apenas obras paliativas.

Disse que a recolha de lixo na comuna do Camama e em outras partes do município, como na Costa Litoral, fazem parte deste leque de intervenções, inseridas no Plano Municipal de Contenção de Acidentes causados pela chuva.

Informou que a par destas acções, o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros realiza, desde segunda feira, naquele município, campanhas de sensibilização sobre os riscos e desastre.

A campanha em curso em Luanda desde 14 de Julho termina no dia 17 de Agosto do ano em curso.

Antónia Ferreira explica que os efectivos do Serviço de Bombeiros têm trabalhado com os presidentes das comissões de moradores e lideres religiosos para capacita-los sobre as causas e formas de prevenção de desastres e estes, por sua vez transmitem para as suas comunidades.

Considera que esta acção de sensibilização é menos dispendiosa tanto para os residentes assim como para o Estado, pois se poupam mais recursos humanos, materiais e financeiros. (ANGOP)

1 COMENTÁRIO

  1. Boa iniciativa, mas o administrador comunal do Benfica tem feito o quê? Eu vivo no Benfica zona verde 3 onde não existe hospital, escola e nem esquadra policial, não há água e nem tão pouco energia pública, parece-me até que têm feito bons negócios com os donos dos PTs privados que cobram até 500 mil kwanzas para um contrato de energia electrica a ENDE deve investigar isso. Até vias transitáveis não há. Cambadas de incompetentes, malditos e orgulhosos

DEIXE UMA RESPOSTA