Ministro do Ensino Superior destaca estratégias de actuação do sector

Ministro do ensino Superior, Adão do Nascimento (Foto: António Escrivão)

O ministro do Ensino Superior, Adão Ferreira do Nascimento, destacou hoje, quarta-feira, na cidade do Cuito, província do Bié, as estratégias de actuação do sector assentes em cinco pontos fundamentais, entre as quais a visão estratégica de desenvolvimento que, deve estar alinhada a visão de desenvolvimento do país.

O governante, que apresentou estas considerações durante a conferência magistral de abertura das VIII jornadas científicas da Escola Superior Pedagógica (ESPB) do Bié, afirmou que a segunda estratégia está relacionada com a importância da base jurídico-institucional, defendendo, porém, o redobramento dos cuidados da base jurídica do sector como forma de estabelecer as regras específicas de funcionamento do ministério, recorrendo-se da visão estratégica de desenvolvimento.

Adão do Nascimento frisou, entretanto, que o terceiro plano ligado a cultura institucional e importância das referências que estabelece o fenómeno de diferenciação de outras escolas do ensino de base e colegial deve merecer maior organização e gestão das instituições do ensino superior.

Relativamente aos sistemas de garantias de qualidade contidas no quarto ponto, Adão dos Nascimento destaca ser de importância capital o funcionamento do sector e de cada instituição a nível do país, devendo, de facto, estarem atentos aos melhores exemplos.

A cultura institucional do quinto e último ponto, prosseguiu, implica que os actores tenham consciência dos resultados que devem produzir para posteriormente fazer uma avaliação dos resultados e fazendo a diferença entre as instituições, realçando, contudo, que os sistemas de garantias de qualidade passam por assegurar o funcionamento da avaliação de qualidade do que se está a fazer a nível de cada unidade orgânica e regiões académicas.

O ministro sublinhou os exemplos ajudam as instituições a funcionar com uma cultura institucional sempre elevada, olhando para dentro da instituição nos melhores exemplos existentes em diferentes gestores e professores.

Adão do Nascimento apontou a Constituição da República e outros que reflectem o ordenamento jurídico do país, bem como os planos de desenvolvimento, nomeadamente o Programa de Governação de 2012/2017, o Plano Nacional Formação de Quadros e o Plano Nacional de Desenvolvimento da Juventude.

A sua aplicação, de acordo com o ministro, permite espelhar o modo de actuação de cada um, bem como regular os processos existentes no ensino superior, permitindo fazer uma estatística dos resultados a serem produzidos a nível do sector.

O responsável realçou a necessidade de se ter gestores e professores que respondam aos requisitos necessários e com competências para intervir nas instituições de ensino desta envergadura e manter uma cultura apropriada, primando pela extensão do património moral que passa pela partilha do saber com outras instituições à margem do sector.

Para isso, as instituições devem ter laboratórios, equipamentos apropriados, centros de investigação e recursos financeiros de forma a funcionar sem sobressaltos e assegurar qualidade no processo de aprendizagem.

Depois de apurados, disse, devem ser exaltados e valorizados para tornar-lhes referências e por sua vez poderem guiar os demais e levar o sector do ensino superior para a excelência.

A aplicação destes sistemas, frisou, permitem permanentemente olhar para a qualidade dos dispositivos em disposição, desde que passem pela investigação científica, organização e gestão, extensão universitária, gestores, docentes e estudantes e posteriormente observar os resultados produzidos.

O responsável exortou aos sectores ligados ao sector a seguirem cabalmente com estes exercícios para conseguir identificar-se na verdade estão a atingir a meta preconizada, dentro do Ministério do Ensino Superior.

As VIII jornadas científicas da Escola Superior Pedagógica (ESPB) no Bié decorre de 20 a 22 deste mês sob o lema “A investigação científica, uma estratégia para a formação humana”. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA