Ministro considera educação o motor para desenvolvimento humano

Ministro do Ensino Superior, Adão de Nascimento (Foto: Francisco Miudo)

O ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento, considerou quinta-feira, em Luanda, a educação como o motor para o desenvolvimento humano e representa a chave para catalisar o desenvolvimento do continente africano.

Adão do Nascimento, que falava na sessão de encerramento da Consulta Regional para a Preparação da Trienal da Associação para o Desenvolvimento da Educação em África (ADEA), afirmou que a educação, enquanto instrumento fundamental para a melhoria dos conhecimentos, das competências para o emprego e do empreendedorismo, da promoção do desenvolvimento e do desabrochar da juventude, representa um factor importante para o crescimento humano no continente.

Para Adão do Nascimento, embora a República de Angola, em particular e a África em geral, tenha realizado importantes progressos no quadro da Educação para todos e dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, existem ainda vários desafios que exigem dos países do continente a elaboração de um quadro de acção exaustivo do sector a longo prazo, para realizar as agendas mundial do continental.

De acordo o ministro, por esta razão, o Executivo angolano elaborou um plano estratégico de longo prazo tendo em conta o cumprimento da Agenda 2063 para África e está em curso a elaboração do Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação, importante ferramenta para a planificação e gestão do sector.

O ministro considerou que durante o evento foram apreciados vários temas e estudos realizados por peritos africanos, onde se extraíram conclusões e recomendações que permitirão enriquecer o debate do tema central da Trienal.

Durante dois dias (27 e 28), os delegados debruçaram sobre o sub-tema nº 3 “ Implementar uma educação para o renascimento cultural africano e dos ideias do Pan-Africanismo para a integração continental “.

Foram ainda objecto de reflexão, as parcerias técnico financeiras, línguas e qualidade da educação, cultura e História de África. O evento foi uma co-organização entre o Executivo angolano e a Associação para o Desenvolvimento da Educação em África (ADEA). (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA