México quer diálogo com equipes de Trump e Hillary

A ministra mexicana das Relações Exteriores, Claudia Ruiz Massieu, na Cidade do México, no dia 27 de abril de 2016 (AFP)

Após criticar Donald Trump por querer que os mexicanos paguem por um muro na fronteira com os EUA, o governo de Enrique Peña Nieto anunciou que buscará o diálogo com a equipe do republicano e a da democrata Hillary Clinton, tão logo suas candidaturas sejam oficializadas.

“Uma vez concluída a convenção republicana e, em seu tempo, na semana que entra, a democrata, buscaremos estabelecer uma comunicação institucional com ambas as equipes de campanha”, declarou a ministra mexicana das Relações Exteriores, Claudia Ruiz Massieu.

A Convenção Nacional Republicana termina nesta quinta-feira (21), após formalizar a candidatura de Trump. Os democratas se reúnem na próxima semana, de 25 a 28 de Julho, para confirmar a ex-secretária de Estado como sua candidata para a eleição de 8 de Novembro.

Ao ser questionada sobre a postura do governo frente à plataforma eleitoral do Partido Republicano de Trump – que defende a construção de um muro fronteiriço para conter a imigração ilegal -, a chanceler disse que não se pronunciaria sobre as propostas específicas de ambos os partidos.

Ela afirmou ainda que a embaixada do México em Washington e a rede consular nesse país estão reforçando o diálogo nos níveis locais e federal, tanto com os governos, quanto com os congressistas americanos.

“Continuaremos trabalhando com o governo dos Estados Unidos que for eleito em Novembro, para rever as acções que devemos instrumentalizar de maneira conjunta para fazer da fronteira uma fronteira mais eficiente, ordenada e segura”, disse Claudia Ruiz.

Em Março, o governo do México já havia declarado que conversaria com os ganhadores de ambos os partidos para discutir as virtudes das relações bilaterais e confrontar com dados “a desinformação” propagada durante a campanha.

Naquele mesmo mês, o presidente Peña Nieto comparou o discurso de Trump com os de Adolfo Hitler e Benito Mussolini.

Há mais de dez dias, Peña Nieto disse em uma entrevista à rede CNN que não existe qualquer possibilidade de que o México pague um muro como esse, mas que a decisão de construí-lo “cabe ao governo dos Estados Unidos”.

O presidente Enrique Peña Nieto viaja nesta quinta para os Estados Unidos para se reunir com Barack Obama. Entre os temas da agenda bilateral que serão tratados na Casa Branca, estão segurança, migração, economia e comércio. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA