Mês de junho foi “muito seco e quente”, segundo Boletim Climatológico

(Lusa)

O mês de junho foi “muito seco e quente”, sendo o valor médio da temperatura máxima muito superior ao valor normal e o 12.º mais alto desde 1931, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Segundo o Boletim Climatológico publicado hoje na página do instituto na Internet, o valor médio da quantidade de precipitação em junho foi de 12,2 milímetros, valor muito inferior ao normal, o que permite classificar o mês de junho como muito seco.

De acordo com o documento, os valores da quantidade de precipitação inferiores aos registados neste mês de junho ocorreram em cerca de 20% dos anos (desde 1931).

Este valor relativo à precipitação, escreve o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), corresponde ao 6.º mais baixo desde 2000 (mais baixo em 2004, 4,2 milímetros).

“O valor médio da temperatura máxima do ar (27,29 graus Celsius) foi muito superior ao valor normal, sendo o 12.º mais alto desde 1931 (valor mais alto em 2004 com 30,14 graus)”, é indicado.

O instituto destaca também que o valor médio da temperatura mínima do ar (13,85 graus Celsius) foi superior ao valor normal.

De acordo com o boletim, o menor valor da temperatura mínima foi registado nas Penhas Douradas a 16 de junho (3,8 graus Celsius) e da máxima em Elvas no dia 29 de junho, com 40,1 graus.

O instituto informou também que Faro registou o maior número de noites tropicais (11), cerca de cinco vezes o valor normal.

“Em Elvas, observou-se o maior número de dias com temperatura máxima maior ou igual que 30 graus Celsius”, é sublinhado.

“De salientar que nos últimos 25 anos, a temperatura média do ar tem sido quase sempre superior ao valor normal, apenas em quatro anos foi inferior (1992, 1997, 2007 e 2013) e a precipitação mensal tem sido quase sempre inferior ao normal exceto em seis anos (1992, 1997, 2006, 2007, 2009 e 2010)”, pode ler-se no documento.

De acordo com o índice meteorológico de seca do IPMA, no final de junho não existe situação de seca em todo o território exceto numa pequena área do sota-vento algarvio. (Noticias ao Minuto)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA