Merkel tenta aproximação com Rússia antes da cimeira da Otan

Chanceler alemã, Angela Merkel, durante evento em Berlim. 24/06/2016 REUTERS/Hannibal Hanschke (reuters_tickers)

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, ofereceu a Moscovo sua “mão estendida ao diálogo” nesta quinta-feira, um dia antes de líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) se reunirem em Varsóvia, na Polónia, para cimentar uma política de dissuasão contra o que vêem como uma Rússia cada vez mais ousada.

A Alemanha, que ajudou a suavizar a Guerra Fria com sua ‘Ostpolitik’, ou a aproximação de Estados comunistas no leste europeu, quer uma relação construtiva entre a Rússia e a Otan, disse Merkel.

“Isto significa dissuasão e diálogo, o compromisso claro com a solidariedade com nossos parceiros na aliança… e uma mão estendida ao diálogo”, disse ela ao parlamento.

A cimeira de dois dias será dominada pela reacção da entidade à Rússia e pelo conflito no leste da Ucrânia, que o Ocidente acusa Moscovo de fomentar a um custo de mais de 9 mil vidas. O conflito levou o Ocidente a impor sanções económicas à Rússia e provocou contra-medidas de Moscovo.

A Rússia diz que é a aliança, e não Moscovo, que está aumentar o risco de um conflito mais abrangente na Europa, citando a maior modernização da Otan desde a Guerra Fria e o escudo de defesa de mísseis dos Estados Unidos como motivos para se preocupar.

Os EUA querem entregar o comando e o controle do escudo de mísseis à Otan em Varsóvia. Merkel disse que o sistema, que é parte da reacção norte-americana para garantir protecção de mísseis do Irão, está posicionado de maneira puramente defensiva. (REUTERS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA