Marcelo desvaloriza preocupações com Portugal e fala em “pressões”

(ETIENNE LAURENT/POOL/EPA)

Após o presidente do Mecanismo Europeu de Estabilidade dizer que estava “preocupado” com Portugal, Marcelo desvalorizou as palavras e diz que há “pressões”. “Cada um escolhe aquilo que o preocupa.”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, desvalorizou esta sexta-feira as palavras do presidente do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), que disse estar “preocupado” com Portugal, dizendo que o país está a “reverter reformas”.

“Cada um escolhe aquilo que o preocupa”, disse Marcelo, de passagem pela Madeira.

“Sempre que estamos na véspera de uma decisão sobre Portugal ou sobre outros países relativamente à sua situação financeira, nós assistimos sempre às mesmas preocupações”, referiu o Presidente da República. E, de seguida, preferiu falar em “pressões” em vez de “preocupações” e apelou a uma distinção entre as duas coisas: “Ou vivemos com essas preocupações e sabemos distinguir aquilo que é mesmo motivo de preocupação ou aquilo que é apenas uma pressão a cinco ou seis dias de uma decisão”.

O Presidente da República chegou até a recorrer aos seus antigos alunos como exemplo, dizendo que por vezes encontrou alguns “com preocupações muito originais, faz parte da natureza humana às vezes ter preocupações estranhas ou inesperadas”.

As palavras de Marcelo surgem depois de o presidente do MEE, Klaus Regling, ter dito que “o único país que preocupa é Portugal, independentemente do Brexit”. Alguns dos motivos de preocupação de Regling foram o aumento do salário mínimo e a reposição dos salários e redução do horário de trabalho na Função Pública. “Temos de estar muito atentos ao que acontece em Portugal.” (OBSERVADOR)

por João de Almeida Dias

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA