Luanda bate recordes de emissão de vistos para Portugal e ganha centro para despachar novos pedidos

(Foto: D.R.)
 Apontado como o maior emissor de vistos para Portugal em todo o mundo, o Consulado Geral de Portugal em Luanda conta, a partir da próxima segunda-feira, 18, com o apoio de um Centro de Pedido de Vistos, estrutura que promete acelerar os processos.

Sem mãos a medir, o Consulado Geral de Portugal em Luanda prepara-se para repartir o trabalho com o novo Centro de Pedido de Vistos, que a partir da próxima semana, vai começar a receber os novos processos de solicitação de entrada em Portugal.

“Devido ao movimento que o Consulado tem, e ao constante aumento do pedido de vistos, decidiu-se replicar uma fórmula que já vem sendo usada com sucesso desde 2008 em 39 cidades de todo o mundo”, explica a cônsul geral de Portugal em Luanda, Alexandra Bilreiro.

Em entrevista à Rádio Nacional, a diplomata recorda que a representação angolana “está no top três dos maiores postos da rede consular portuguesa”, destacando-se ainda como “o maior emissor de vistos para Portugal em todo o mundo”.

Com dois picos anuais no volume de solicitações – entre Junho e Agosto e entre Novembro e Dezembro -, o Consulado vai agora trabalhar com a prestadora de serviços VFS Global, a quem compete recepcionar os pedidos de vistos e entregar os passaportes.

“É um intermediário entre o Consulado e os utentes, mas a decisão de atribuir os vistos continua a ser das autoridades portuguesas”, esclarece Alexandra Bilreiro, confiante numa maior rapidez dos procedimentos.

“Em média, para os utentes que viajam pela primeira vez, o Centro vai permitir acelerar a concessão de vistos, desde que os documentos estejam em ordem”, diz a cônsul, garantindo que a maioria dos pedidos demoraram uma semana a serem despachados, a menos que os processos estejam incompletos ou apresentem incongruências.

Sublinhando o bom estado das relações bilaterais, a responsável adianta que apesar da crise financeira, a afluência ao consulado não abranda.

“Este ano batemos de novo recordes relativamente ao número de pedidos de vistos: Só no primeiro semestre deste ano tivemos um aumento de 3,5% em relação ao período homólogo, o que é notável tendo em conta a conjuntura em que o país se encontra”.

Apesar de não adiantar números, a diplomata refere que “cerca de um terço dos vistos concedidos são de longa duração”, o que significa que “no decurso de um ano os angolanos podem estar três meses em cada semestre em Portugal”.

O novo Centro de Vistos está situado na Avenida Portugal, números 18-20, no edifício Vernon. (novojornal)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA