Linhas de apoio à capitalização chegam hoje às empresas

(Negocios)

O Governo assina esta quinta-feira um protocolo com um conjunto de instituições financeiras que pôe no terreno apoios de 1,1 mil milhões para apoiar a capitalização das empresas. Veja aqui quais são.

De manhã, o Executivo aprova, em Conselho de Ministros, o Programa Capitalizar, para apoio às empresas e à retoma do investimento. À tarde, assina um protocolo com um conjunto de instituições financeiras que será a concretização, no terreno, de duas linhas de apoio à capitalização, instrumentos financeiros que, segundo o Ministério da Economia, permitirão fazer chegar às empresas um valor perto dos 1.100 milhões de euros ainda neste terceiro trimestre.

Esta quarta-feira marca a chegada ao terreno das primeiras medidas concebidas pela Estrutura de Missão para a Capitalização das Empresas (EMC) que, em Junho último, apresentou ao Executivo um plano com um conjunto de 131 medidas dirigidas, não só à promoção da capitalização das empresas, mas também à redução das restrições com que estas se deparam no acesso ao financiamento, sobretudo as micro, pequenas e médias empresas. A proposta da EMC foi entretanto alvo de um “período de ponderação política” e o resultado final é o Programa Capitalizar, a aprovar este dia 14 em Conselho de Ministros.

As duas medidas agora a chegar ao terreno serão dirigidas à capitalização e financiamento das PM: a Linha de Crédito com Garantia Mútua e a Linha de Financiamento a Operações de Capital Reversível. Uma e outra serão geridas pela Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD).

Os novos instrumentos financeiros vão ser financiados por fundos europeus e partem de uma lógica de co-investimento de recursos públicos, por um lado, e de investimentos privados, por outro. Ou seja, os fundos europeus disponibilizados deverão beneficiar de uma alavancagem por parte da banca, a mesmo lógica subjacente à aplicação da generalidade dos fundos do Portugal 2020.

Em Junho, quando foi apresentado o trabalho levado a cabo pela EMC, o Governo identificou cinco eixos de actuação e, das 131 medidas, identificadas 15, consideradas emblemáticas. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA