Líderes internacionais condenam “ataque bárbaro e cobarde” em Nice

(EURONEWS)

A cimeira Ásia-Europa iniciou-se esta madrugada na capital da Mongólia, com um minuto de silêncio, em nome das vítimas do ataque em Nice.

Uma ação condenada em uníssono pela comunidade internacional, quando vários líderes apelaram ao reforço da cooperação na luta contra o terrorismo.

“É um trágico paradoxo que este ataque tenha visado pessoas que celebram a liberdade, a igualdade e a fraternidade. Hoje todos, na Europa e na Ásia, estamos unidos com o povo francês e o seu governo. Nós condenamos esta tragédia e vamos manter a nossa luta contra a violência extrema e o ódio”, afirmou Donald Tusk, o presidente do Conselho europeu, em Ulan Bator.

A Chanceler alemã, reagiu igualmente aos acontecimentos em Nice, durante a reunião:

“O que conta neste dia é a solidariedade. A solidariedade dos alemães com os nossos amigos em França, solidariedade de todos os países reunidos neste local na luta contra o terrorismo. A Alemanha está ao lado da França e de muitos outros na luta contra o terrorismo e estou convencida, apesar das dificuldades, que vamos vencer esta luta”.

Nos Estados Unidos, o presidente Barack Obama reagiu através das redes sociais, com um comunicado, onde condena, “o que parece ser um terrível atentado terrorista”, reafirmando, “a solidariedade com a França, o nosso aliado mais antigo”.

O presidente sublinhou ainda que, “os valores da república francesa vão perdurar”, depois do ataque.

Na Austrália, a ministra dos Negócios Estrangeiros, Julie Bishop, condenou igualmente o ataque:

“O governo australiano está profundamente chocado com este ataque horrível e condenamos o que aparenta ser um atentado terrorista que ocorreu durante o dia nacional em Nice … Os australianos devem prosseguir a sua vida normal, mas têm que ter consciência do alerta aos viajantes lançado pelo governo, .onde obviamente incluímos este incidente. Apelamos aos australianos para que sejam altamente cautelosos em França”.

Em Nova Iorque, o Conselho de Segurança da ONU reagiu igualmente esta noite, ao condenar, “um ataque bárbaro e cobarde”. Numa declaração conjunta, os 15 países apresentaram as condolências às vítimas, sublinhando, “a necessidade de de combater a ameaça terrorista, com todos os meios possíveis”.

Em Portugal, o primeiro-ministro António Costa afirmou que, “Portugal sofre com a França”, acrescentando, “todos partilhamos os seus valores: liberdade, igualdade, fraternidade”. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA