Líder da Escócia diz que país deve cogitar independência para manter opções abertas após “Brexit”

A líder escocesa, Nicola Sturgeon, em Edimburgo. (REUTERS/Andrew Milligan)

A líder escocesa, Nicola Sturgeon, disse que começará trabalhos preparatórios para a separação da Escócia do resto da Grã-Bretanha a fim de manter a opção de independência disponível após o referendo de 23 de Junho em que a maioria dos britânicos decidiu deixar a União Europeia.

Embora a Grã-Bretanha tenha votado como um todo por encerrar sua filiação à UE no referendo, eleitores escoceses, apoiaram a permanência no bloco, reacendendo o debate sobre o futuro da Escócia como nação constituinte do Reino Unido.

Sturgeon reafirmou sua posição de que uma nova tentativa de independência, apenas dois anos após o país ter votado contra a separação, deve permanecer como uma opção, dependendo do formato dos laços britânicos com o bloco europeu e quão bem eles funcionarão para a Escócia.

“Se considerarmos que nossos interesses não podem ser protegidos no contexto do Reino Unido, a independência deve ser uma das opções que a Escócia deve ter o direito de considerar”, disse ela em discurso.

“É por isso que vou dar os passos preparatórios para garantir que seja uma opção aberta ao parlamento escocês caso considere necessário.” (REUTERS)

por William James e Giles Elgood

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA