Huambo: Desenvolvimento da Caála passa por maior envolvimento dos munícipes

Huambo: Vista da cidade da Caála (Foto: FRANK BEU)

O administrador do município da Caála, província do Huambo, Victor Tchissingui, convidou, sexta-feira, os munícipes a participarem nos programas de combate à pobreza, ao analfabetismo, ao crime organizado e à delinquência juvenil, para promover o bem-estar nas comunidades.

Falando na abertura das festividades dos 46 anos de existência da antiga vila Robert Williams, que esta sexta-feira (dia 15) se assinalou, Victor Tchissing pediu também maior participação dos munícipes no combate à violência doméstica e ao abuso sexual de menores.

Para o efeito, os munícipes foram encorajados a emitir opiniões positivas sobre os assuntos relacionados com a vida pública e apontar estratégias de desenvolvimento nas diferentes esferas, mormente social e económica.

De igual modo, o responsável exortou maior unidade e harmonia à população para o exercício da promoção social e a preservação da paz nas comunidades, visando aumentar o progresso social nesta região.

“Com este esforço podemos resolver os problemas de assimetrias sociais e garantir os níveis de desenvolvimento económico“, sublinhou.

Por ocasião destes 46 anos de existência, Victor Tchissingui sublinhou a execução de projectos estruturantes em curso na circunscrição, com realce para a construção da nova centralidade, com quatro mil apartamentos, em fase de conclusão.

No sector económico destacou a construção de três silos para a conservação de cereais, com a capacidade de 12 mil toneladas, assim como um pólo industrial com mil e 83 hectares para a instalação de fábricas diversas.

Relativamente ao sector agrícola, fez referência a existência de 155 fazendas controladas pelaa Administrações Municipal da Caála. Na comuna do Cuima é controlado um polígono florestal com 18 mil hectares para a exploração de árvores para o processo de transformação.

No que toca à educação existem 48 escolas com um universo de dois mil e 354 professores que leccionam 119 mil e 528 alunos distribuídos no ensino primário e secundário.

Já o sector da saúde aparece servido com um hospital de 200 camas que também assiste doentes das províncias da Huila, Benguela e os municípios da Ecunha, Ukuma, Longonjo e Tchinjenje (Huambo).

Com 3. 680 quilómetros quadrado e 260 mil habitantes, o município da Caála localiza-se na parte central da província do Huambo, sendo limitado a Norte pelo município do Ecunha, a Este pelo município do Huambo, a Sul pelo Chipindo (Huíla) e a Oeste pelos municípios de Longonjo e Caconda. É constituído pelas comunas de Caála, Cuima, Calenga e Catata.

O desenvolvimento da zona iniciou-se com a chegada do caminho-de-ferro, em 1912. Pertenceu até 1922 à circunscrição do Huambo. Entre 1922 e 1934 pertenceu à localidade do Lépi, quando esta foi transferida para a Caála.

Em 1956 foi elevada a concelho e até 1970 designou-se Vila Robert Williams, em homenagem ao magnata britânico Robert Wlliams que impulsionou a construção do Caminho-de-Ferro de Benguela. A 15 de Julho 1970 foi elevada à categoria de cidade, passando a designar-se Robert Williams e voltou à designação original (Caála) em 1975. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA