Huambo: Comunidade académica discute sobre ameaças e oportunidades da universidade

Huambo:vice-reitora para os assuntos Científicos e Pós-Graduação da Universidade JES, Virgínia Quartin (Foto: Angop)

Uma conferência académica-científica sobre “A universidade de hoje, ameaças e oportunidades” foi realizada sábado pelo Instituto Superior Politécnico Sol Nascente no Huambo, com objectivo de discutir a função das instituições de ensino universitário no desenvolvimento económico-social dos países.

A conferência, que visou também suscitar o interesse e a participação da comunidade académica, foi ministrado pela vice-reitora para os assuntos Científicos e Pós-Graduação da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), Virgínia Maria Lacerda Quartin.

Na ocasião, os participantes debateram a qualidade do corpo docente no ensino superior, a fraca cultura de investigação e de pesquisa de alguns professores e estudantes, os passos a seguir para constar no ranking das melhores universidades de África, o entrosamento dos jovens no processo de investigação, a qualidade de ensino nas universidades, entre outras questões.

Durante a dissertação, a vice-reitora da UJES, Virgínia Quartin, apontou quatro factores que, no seu entender, determinam a qualidade e desenvolvimento do ensino superior, designadamente as forças, as fraquezas as oportunidades e as ameaças, além do ranking das 100 melhores universidades do mundo e de África, em particular.

Disse que as forças de uma universidade têm a ver com a extensão do ensino superior em todo país (públicas e privadas), o acesso à formação, diversidades e habilidades, existência de estruturas e infra-estruturas adequadas, acesso as novas metodologias de ensino, legislação adequada, vontade dos doentes e discentes, parcerias com instituições de regências, contactos internacionais entre outros.

As fraquezas, na visão da académica, resultam, entre outras, do défice de docentes nos cursos engenharias, necessidade de se melhorar a diferenciação e a qualidade do corpo docente, insuficiência de laboratórios e de oficinas apetrechadas tanto em equipamentos, como em recursos humanos.

Já as oportunidades assentam-se na utilização dos convénios e parcerias institucionais, dos contactos internacionais e no aproveitamento racional das bolsas de estudo.

Sobre as ameaças da universidade explicou que tal situação resulta da não resolução de algumas fraquezas, da falta de sanções a actos explícitos de incumprimento, mau ambiente de trabalho e na falta de liderança.

Contudo, Virgínia Quartin orientou os jovens a se formarem de acordo a sua vocação e gosto, evitando a troca de área já no ensino superior e da fraude académica (cabula), para contribuir com conhecimento e com competência académica e cientifica no desenvolvimento económico e social do país.

Entre os participantes na conferência destaca-se o vice-governador da província do Huambo, para o sector Político e Social, Guilherme Tuluca, o director-geral do Instituto Superior Politécnico Sol Nascente, Inácio Valentim, a decana da Faculdade de Economia da UJES no Huambo, Sílvia do Amaral, entidades religiosas, políticos, docentes, discentes e outros convidados. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA