Huambo: Aberto Prémio Literário “Quem me dera ser onda” edição 2016

Obra vencedora da última edição do concurso (Foto: Angop)

O prémio nacional literário “Quem me de dera ser onda”, edição 2016, uma iniciativa da União dos Escritores Angolanos (UEA), foi aberto quarta-feira, na cidade do Huambo, com o objectivo de motivar as crianças e adolescentes a terem o gosto e o maior domínio pela leitura e escrita.

O facto ocorreu durante o habitual evento denominado “Maka às quarta-feira”, promovido pela UEA, que pela primeira vez foi realizada fora da capital do país, em sessão assistida pelo vice-governador do Huambo, para os serviços Técnicos e Infra-estruturas, Calunga Francisco Quissanga.

Na ocasião, o secretário local da Brigada Jovem de Literatura, João Lara, disse que a data limite para a entrega e recepção dos textos nas escolas decorre até 30 de Dezembro.

Explicou que o concurso visa premiar as melhores obras de estudantes com idades entre os 13 e 17 anos de escolas públicas e privadas, no domínio da prosa, tendo como coordenadores os professores de língua portuguesa.

Fez saber que a presente edição vai homenagear o escritor Manuel Rui Monteiro, natural do Huambo, no âmbito do programa de promoção das figuras literatura e da cultura nacional.

Por sua vez, o director provincial da Educação no Huambo, Sampaio do Amaral, referiu que o premio vai galvanizar os objectivos do sector na província, pois vai estimular os alunos a ler e estudar mais.

Disse acreditar que os estudantes poderão representar bem a província, depois da sua estreia no concurso em 2015.

A edição passada foi vencida pelo estudante Mauro Reimer Vieira de Oliveira, da 9ª classe, com a obra ”O menino que queria um livro”, e recebeu da organização 500 mil kwanzas, um diploma de mérito e a edição da sua obra.

A sessão do “Maka às quarta-feiras”, que contou com a participação de membros do governo da província do Huambo, académicos, professores e estudantes universitários e do ensino geral da província, abordou o tema “O Universo Literário do Huambo e seus autores”. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA