Historiador angolano destrata primeiro presidente de Angola

(OPAIS)

Historiador angolano destrata primeiro presidente de Angola
153 Visualizações Julho 06, 2016 Política, Últimas
Historiador angolano destrata primeiro presidente de Angola

Membro da Associação Tchiweka, Mbeto Traça considera as insinuações do historiador próprias de alguém que vive de ressentimentos devido ao seu passado político em Angola.

A “conduta autocrática” e a “tirania” do primeiro presidente de Angola e do MPLA, Agostinho Neto, centram o novo livro do historiador luso-angolano Carlos Pacheco, ontem lançado em Lisboa. Segundo o autor, o livro com o título “Agostinho Neto – O Perfil de um Ditador – A História do MPLA em Carne Viva” é o resultado de uma década de investigação histórica e que “desmistifica” a “glória” atribuída ao homem que conduziu os destinos do movimento que lutou pela libertação do jugo colonial português em Angola (1961/74).

Na sinopse do livro, publicado pela editora Nova Veja, é escrito que Carlos Pacheco “solta um grito de denúncia” ao que considera ser a “conduta autocrática” de Agostinho Neto no MPLA, bem como a “prática persecutória” contra alguns dos seus rivais, antes e depois da independência (11 de Novembro de 1975). Na obra, o autor dá também conta de casos de corrupção, indisciplina e dissidência, de casos de comportamento hostil de chefes guerrilheiros contra as populações nas matas, referindo a morte de civis, roubos das produções agrícolas, raptos e violações de mulheres.

Carlos Pacheco aborda também no livro, dividido em dois volumes e com um total de 1.470 páginas, profusamente ilustrado e com mapas e centenas de notas com referência bibliográficas, o “trágico” “27 de maio” de 1977, uma alegada tentativa de golpe de Estado contra o governo dirigido por Agostinho Neto que se saldou na morte de Nito Alves, uma das até então mais proeminentes figuras do MPLA. (OPAIS)

Continue a ler este artigo na edição em papel de O PAIS já nas bancas.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA