Hillary anuncia senador Tim Kaine como vice na chapa democrata

(AFP)

A virtual candidata democrata à presidência americana, Hillary Clinton, anunciou nesta sexta-feira (22) que escolheu o senador Tim Kaine, do estado da Virgínia, como seu vice na chapa do partido para a eleição de 8 de Novembro.

“Estou animada com anunciar @timkaine como meu companheiro de chapa, um homem que dedicou sua vida a lutar pelos outros. -H,”, publicou no Twitter a ex-secretária de Estado dos EUA.

“É um optimista incansável, que acredita que nenhum problema é impossível de se resolver, se você trabalha para resolvê-lo”, elogiou Hillary.

Advogado respeitado por sua longa carreira dentro do Partido Democrata e pela solidez de suas convicções, Kaine disse se sentir “honrado” com o convite.

“Acabei de desligar o telefone com a Hillary”, tuitou.

“Estou honrado de ser seu vice. Mal posso esperar para embarcar amanhã para Miami!”, acrescentou.

Católico e formado em Direito pela Universidade de Harvard, Kaine era considerado o grande favorito entre os candidatos para acompanhar Hillary na chapa presidencial, que deverá ser ratificada na semana que vem na Convenção Nacional Democrata, na Filadélfia.

Kaine chegou a ser cogitado como possível companheiro de chapa de Barack Obama para as eleições de 2008, tendo manifestado seu apoio à candidatura de Obama – o que provocou evidente irritação entre os seguidores de Hillary.

Desta vez, porém, Kaine se alinhou à campanha da ex-secretária de Estado desde o primeiro dia.

O discreto e eficiente político passou parte de sua juventude como missionário religioso em Honduras, e sua fluência em espanhol pode servir para consolidar o apoio do eleitorado latino à candidatura de Hillary.

O senador preenche vários requisitos. Tem experiência em Política Externa (participa das Comissões de Forças Armadas e de Relações Exteriores do Senado), pode atrair o voto latino e é um advogado com extensa actividade no estado da Virgínia, onde o conservador Partido Republicano é tradicionalmente forte.

Acima de tudo, apontam analistas, Kaine é uma opção segura, já que se trata de um homem branco do sul do país, de forma que pode atrair eleitores indecisos com esse mesmo perfil.

O senador tem consciência de que não tem tanta energia, como aquela exibida, por exemplo, pela candidata a vice-presidente republicana em 2008, Sarah Palin.

“Eu sou chato”, reconheceu, sorrindo em uma aparição recente na televisão.

De fato, aos 58 anos de idade, Kaine nunca parece ter uma palavra fora de tom, ou algo que seja memorável, na ponta da língua.

O senador sempre mostrou, porém, um talento quase sobrenatural para contornar as situações difíceis próprias de uma carreira política.

Foi eleito prefeito de Richmond, na Virgínia, em Julho de 1998, e governador desse estado, em 2006. Em 2012, chegou ao prestigioso Senado americano.

Em um discurso recente, Hillary comentou sua carreira política: “Nunca perdeu uma eleição”, disse ela, sem esconder sua admiração.

Kaine também foi presidente do Comité Nacional Democrata, gestão que lhe permitiu fortalecer seu perfil de alcance nacional.

Em um momento no qual políticos americanos se mostram mais mordazes e polarizados, o equilibrado Kaine é visto como um eficiente construtor de consensos. Além disso, tem um excelente diálogo com todas as tendências do Partido Democrata, incluindo o entorno do senador por Vermont e finalista na actual prévia democrata, junto com Hillary, o progressista Bernie Sanders.

“Sei como trabalhar em equipe e nas coisas da vida para conseguir vitórias como equipe”, declarou, em recente entrevista à emissora de televisão americana NBC.

Kaine é casado há 32 anos com Anne.

Segundo ele, seu forte senso de justiça social tem origem em sua formação católica.

O senador defende a ortodoxia orçamentaria e, na Virgínia, chegou a gerar fortes críticas de ambientalistas por não ser duro o suficiente com a indústria de combustíveis fósseis.

Outros três democratas de origem latina chegaram a ser seriamente considerados para acompanhar Hillary Clinton na chapa: o secretário de Habitação, Julián Castro; o secretário do Trabalho, Thomas Pérez; e o representante (deputado) Xavier Becerra. Os três são ascendentes figuras no partido. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA