Governo perde moção de confiança na Tunísia

O primeiro-ministro tunisino, Habib Essid (centro), chega ao Parlamento, em Túnis, em 30 de julho de 2016 (AFP)

Por esmagadora maioria, o Parlamento retirou, neste sábado (30), seu voto de confiança ao primeiro-ministro tunisino, Habib Essid, há dois meses sob pressão desde que o presidente Beji Caïd Essebsi desautorizou seu governo e convocou um gabinete de união nacional.

Essid, um independente de 67 anos, está há um ano no cargo.

Como previsto, com 118 votos contra, três a favor e 27 abstenções, os deputados retiraram seu apoio ao Executivo.

O governo de Habib Essid foi duramente criticado por sua incapacidade de superar a crise económica no país, o alto índice de desemprego e a insegurança, após os ataques extremistas cometidos no país nos últimos meses.

A partida do governo faz temer um novo período de incerteza no país.

Agora, o presidente deve iniciar uma rodada de consultas para, em um prazo de dez dias, anunciar um novo líder par o governo.

Em 2 de Junho passado, o presidente declarou que o país precisava de um governo de unidade nacional.

Vários partidos, entre eles os quatro no poder (Nidaa Tounes, Ennahda, Afek Tounes e UPL), anteciparam seu voto de censura.

Formado há um ano e meio, o actual governo foi acusado de ineficiência, no momento em que a Tunísia enfrenta um período difícil. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA