Governo entende que harmonia social passa pela satisfação das famílias

Vice-presidente da República, Manuel Vicente (Foto: Lucas Neto)

O Governo angolano entende que a harmonia social, a reconciliação nacional e a consolidação da paz passam pela satisfação das necessidades da família nos domínios material, espiritual, religioso, cultural, moral, entre outros valores.

Este imperativo foi realçado nesta terça-feira, em Luanda, pelo vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, em representação do Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, na abertura da 17ª Assembleia Plenária dos Bispos do Simpósio das Conferências Episcopais de África e Madagáscar, que decorrer até o dia 24 de Julho, na capital angolana.

“Em nosso entender, o governo deve, juntamente com outros parceiros sociais, como a igreja, estudar as formas de cooperação que garantam a manutenção do papel da família, como agente estruturante e estabilizador da sociedade”, referiu.

Segundo Manuel Vicente, vivemos num mundo demasiado complexo e interdependente, no qual as distâncias se encontram completamente esbatidas, pois nada acontece em qualquer parte do planeta que deixa de ter repercussão noutra parte do globo.

Defendeu que o papel da igreja, do Estado e sobretudo da família, deve ser valorizado a bem da sociedade democrática que “todos ajudamos a construir e a consolidar”.

Realçou que não se pode perder de vista que outros problemas sociais condicionam também as dinâmicas do relacionamento e a estrutura da família, mormente as questões da igualdade entre homens e mulheres, os direitos no âmbito do casamento, a violência doméstica, os maus tratos às crianças e aos idosos.

Na visão do vice-presidente da República, para a família dispor de uma base consolidada e duradoura, as suas relações internas devem assentar na igualdade do género, no amor, no afecto e no respeito recíproco.

A este respeito, lembrou que o para Francisco sugere o amor como o caminho da alegria para as famílias e como ponto de partida para a vivência e reconhecimento verdadeiro do matrimónio.

O encontro, que decorre numa das unidades hoteleiras de Luanda, sob o tema “”A família em África, ontem, hoje e amanhã, à luz do evangelho”, está a ser orientado pelo arcebispo do Lubango e presidente do SECAM, Dom Gabriel Mbilingi, e encerra sábado. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA