França pede a Durão Barroso que renuncie ao cargo no Goldman Sachs (vídeo)

(Sebastien Pirlet / Reuters)

França critica a decisão de Durão Barroso de se tornar presidente não executivo do banco de investimento norte-americano, Goldman Sachs.

O secretário de Estado francês para os Assuntos Europeus considerou “escandalosa” a decisão do antigo presidente da Comissão Europeia.

Perante o Parlamento, Harlem Desir, afirmou que a decisão fragiliza o projeto europeu. “Moralmente, politicamente, eticamente, é um erro do senhor Barroso. É o pior serviço que um antigo presidente da Comissão poderia fazer ao projeto europeu num momento da história em que deveria ser apoiado e reforçado. O senhor Barroso está, agora, a ajudar os antieuropeus com este assunto. Peço-lhe, oficialmente, que renuncie a esta posição”, diz.

O governante francês defendeu, ainda que a Comissão Europeia deve apertar as regras sobre as incompatibilidades dos líderes europeus quando abandonam os cargos.

Atualmente os antigos comissários têm de aguardar 18 meses antes de poderem aceitar outros cargos no setor privado, para evitarem conflitos de interesses. Durão Barroso esperou 20.

As críticas devem-se, em especial, ao papel do Goldman Sachs na crise financeira de 2008, e, ainda, na manipulação das contas públicas da Grécia. (EURONEWS)

por Miguel Roque Dias | com REUTERS

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA