Evaristo Carvalho vence presidenciais em São Tomé e Príncipe

(DW)

O candidato apoiado pela Ação Democrática Independente (ADI), no poder, foi eleito à primeira volta, no domingo. “Podem confiar em mim”, garantiu Evaristo Carvalho após a vitória nas eleições presidenciais.

Evaristo Carvalho será o próximo Presidente de São Tomé e Príncipe. O candidato apoiado pelo Governo da Ação Democrática Independente (ADI) obteve 50,1% dos votos na primeira volta das eleições presidenciais deste domingo (17.07), segundo resultados provisórios da Comissão Eleitoral Nacional. O atual Presidente, Manuel Pinto da Costa, que concorria a um segundo mandato, obteve 24,8% dos votos e Maria das Neves, apoiada pela oposição, 24,1%.

“É uma vitória para o meu partido, para os meus companheiros de partido, a quem agradeço muito o apoio e a confiança”, afirmou Evaristo Carvalho após o anúncio dos resultados provisórios. “Podem confiar em mim porque eu vou exercer a função de Presidente da República com toda a seriedade, toda a lealdade e sempre contribuindo para o avanço de São Tomé e Príncipe.”

O primeiro-ministro são-tomense felicitou o vencedor das presidenciais. Para Patrice Trovoada, Evaristo Carvalho é “uma personalidade que tem todos os requisitos para poder, com o Governo, inaugurar um período de estabilidade para São Tomé e Príncipe”.

“Parcialidade” na comunicação social

A abstenção rondou os 36%. A maior afluência às urnas registou-se, como hábito, durante a tarde de domingo.

A comunidade de Maria Luísa, no distrito de Lembá, norte da ilha de São Tomé, boicotou a votação, impedindo que a urna chegasse à assembleia de voto. Mas o número de votantes nesta zona não chega a uma centena.

Outro elemento perturbador do processo, na opinião dos candidatos Manuel Pinto da Costa e Maria das Neves, foi a parcialidade da comunicação social estatal.

“Verificámos que a imprensa dava prioridade ao candidato apoiado pelo partido no poder”, afirmou no domingo o Presidente cessante, Manuel Pinto da Costa. “Assistimos inclusivamente a ações levadas a cabo pelo próprio Governo, inaugurações por todo o canto, inclusivamente feitas no sábado, em flagrante desrespeito pelas nossas leis.”

Maria das Neves realçou a importância do trabalho da Comissão Eleitoral. “Espero que a Comissão Eleitoral, os delegados, os fiscais, que cada um faça o seu trabalho em plena consciência, sem fraude, para que os resultados possam refletir a escolha dos votantes”, disse a candidata depois de votar, no domingo.

Em contrapartida, Evaristo de Carvalho saudou o trabalho feito pela imprensa local.

Observadores da UA elogiam eleições

A missão da União Africana (UA) em São Tomé e Príncipe louvou o clima de serenidade e a organização nas eleições. Armando Guebuza, chefe da missão, percorreu algumas assembleias de voto nos distritos de Água Grande, Cantagalo e Mé-Zóchi e assistiu à contagem de votos numa das mesas.

O primeiro balanço é positivo, segundo Guebuza. “As eleições correram bem”, anunciou. “As pessoas estiveram lá mais ou menos a horas, houve serenidade, houve uma boa organização de mesa e agora, nesta mesa onde nos encontramos, vimos como os documentos foram apresentados. A contagem foi feita nesse ambiente de serenidade e, portanto, nós estamos satisfeitos”.

Cinco candidatos participaram nas eleições presidenciais de domingo: Evaristo de Carvalho (que ganhou com 34.629 votos), Manuel Pinto da Costa (17.121 votos), Maria das Neves (16.638), Manuel do Rosário (488) e (194). (DW)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA