Euro2016: Presidente de Portugal celebra vitória “muito sofrida, mas merecida”

(EURONEWS)

O Presidente da República de Portugal assistiu na Madeira, terra natal de Cristiano Ronaldo, à vitória da Seleção Nacional sobre da Polónia, nos quartos-de-final do Euro2016. No final do desempate por grandes penalidades favorável aos portugueses (5-4, após 1-1 nos 120 minutos de jogo), Marcelo Rebelo de Sousa disse aos jornalistas ter sido uma vitória “muito sofrida, mas merecida.”

Depois de já ter etado em Lyon, onde assistiu ao empate a 3 golos com a Hungria que valeu o apuramento da Seleção para os oitavos-de-final, o chefe de Estado garantiu agora que, tal como a equipa, também ele vai regressar àquela cidade francesa: “Lá estarei, nas meias-finais.”

Desta vez, a ver o jogo no estádio Velodrome, em Marselha, esteve o primeiro-ministro português. Pelas redes sociais, António Costa partilhou o estado de espírito após o suado triunfo sobre a Polónia. “Já o tinha dito, volto a dizer: juntos, golo a golo, a caminho da vitória. Parabéns seleção, parabéns Portugal”, escreveu o chefe de Governo, partilhando de seguida uma foto bem expressiva (em baixo).

O ex-primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, disse que a seleção “mostrou ambição” e considerou que a equipa das quinas está “cada vez mais perto de chegar a Paris”, onde se vai jogar fia 10 de julho a final do Europeu.

“Estamos mais perto de atingir o grande objetivo. Portugal fez um jogo em que demonstrou a sua ambição contra uma equipa muito forte”, referiu o agora líder da oposição, numa mensagem enviada à agência Lusa, depois de assistir ao jogo em Esmoriz. “Faltam mais dois jogos para vencer”, acrescentou Passos Coelho.

A festa: de Cabo Verde a Timor Leste

No maior centro comercial da cidade da Praia, em Cabo Verde, cerca de meia centena de adeptos, entre cabo-verdianos e portugueses, assistiram ao Polónia-Portugal. A passagem da equipa das quinas às meias-finais do Euro2016 foi festejada com gritos, palmas, pulos e muitos sorrisos.

Além do último golo no desempate por penáltis marcado por Ricardo Quaresma, o orgulho maior foi o golo do empate de Renato Sanches, a passe do Nani, dois jogadores de ascendência cabo-verdiana a jogar ao serviço de Portugal.

“Puto maravilha”, “esse miúdo é bom de bola, tem futuro”, “é um golo cabo-verdiano” foram alguns dos desabafos que se ouviram na altura do golo e durante todo o jogo, num autêntica loucura pelo jogador de 18 anos, que o Benfica vendeu em maio ao Bayern Munique, por 35 milhões de euros.

Carlos de Pina, 51 anos, enalteceu “excelente golo” de Renato Sanches. “É um jovem cheio de futuro. Tem força e garra. Ficamos muitos orgulhos, aqui e na diáspora por ele ter marcado e ajudado Portugal”, disse.

Quem também sofreu durante os 90 minutos regulamentares foi Agostinho Teixeira, 45 anos, que já não viu os penáltis no local, explicando que “não estava a contar com o prolongamento”. “Tivermos o azar de entrar no jogo praticamente a perder e, depois, foram 45 minutos a correr atrás do prejuízo. No entanto, Portugal esteve bem e conseguiu dar a volta ao resultado”, analisou à Lusa o português natural de Lousã, que está há apenas três semanas em Cabo Verde a trabalhar.

A portuguesa Sandra Correia, que também está há três semanas em Cabo Verde em serviço, disse que foi “muito bom” ver o jogo neste país lusófono. “Estava com muito nervosismo e com muita tensão a torcer por Portugal. Acreditei sempre na vitória. Foi muito bom ver o jogo em Cabo Verde porque os cabo-verdianos estavam a torcer por Portugal e estavam muito emocionados”, afirmou.

Em Timor-Leste, foguetes, caravanas de motos e carros e buzinadelas assinalaram a passagem de Portugal às meias-finais do Europeu de futebol. Assim que terminou o jogo, já manhã de sexta-feira em Díli devido à diferença horária, ouviu-se na cidade o som de foguetes, com muitas pessoas a juntarem-se a várias caravanas que percorreram a cidade.

Em alguns locais portugueses, como em frente à delegação da Lusa, na Avenida de Portugal, juntaram-se vários timorenses com bandeiras portuguesas em celebração. O jogo foi acompanhado em direto através da transmissão de uma televisão timorense, a ETO+, em vários pontos da cidade onde a comunidade portuguesa se juntou com timorenses, incluindo o Hotel Timor e o Sport Díli e Benfica.

As vitórias de Portugal têm sido sempre acolhidas com grandes celebrações em Díli, onde o futebol é acompanhado de perto. O facto de os jogos estarem a ser transmitidos pelas televisões timorenses permite que todos os possam acompanhar e, apesar da hora tardia — o jogo de quinta-feira começou às 04 horas da manhã em Dili — muitos ficam acordados ou levantaram-se especialmente para ver o encontro. (EURONEWS)

por Francisco Marques | Com LUSA

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA