Economia britânica registou quebra “dramática” após referendo

(Reuters)

A libra está a reagir em queda ao anúncio de que a actividade económica no Reino Unido registou a maior descida desde 2009.

Os primeiros indicadores económicos relativos ao período depois do referendo de 23 de Junho comprovam que a vitória do Brexit está a ter um forte efeito negativo na actividade económica do Reino Unido.

De acordo com a Markit, o PMI compósito (que mede a actividade tanto nos serviços como no sector manufactureiro) recuou para 47,7 pontos em Julho. Foi a queda mensal mais forte de sempre, para o nível mais baixo desde Abril de 2009 e que compara com os 52,4 do mês anterior.

O indicador ficou abaixo das expectativas dos analistas (49 pontos) e de acordo com a Markit aponta para uma contracção da economia de 0,4% no terceiro trimestre.

Chris Williamson, economista-chefe da Markit, assinala que em Julho se assistiu a uma deterioração “dramática” da economia britânica, com a queda na actividade económica a ser a mais forte desde a crise financeira de 2009.

O índice da Markit para medir a evolução no sector dos serviços caiu para 47,4 pontos, um mínimo de 88 meses, enquanto o indicador para medir a evolução da indústria caiu para mínimo de 41 meses (49,1 pontos). Leituras abaixo de 50 pontos indicam que o sector está em contracção.

Estes indicadores, que foram construídos com base em informação recolhida entre 12 e 21 de Julho, são o sinal até agora mais evidente do forte efeito negativo do Brexit na economia britânica.

A libra reagiu em baixo a este dado económico, com a moeda britânica a recuar 0,5% face ao euro (0,8375 euros) e face ao dólar (1,3169 dólares).

Se parece certo que o Reino Unido vai entrar em recessão devido à decisão de sair da União Europeia, os economistas ainda assim não antevêem uma forte quebra no PIB. Um inquérito levado a cabo pela agência Bloomberg junto de economistas aponta para que o produto interno bruto (PIB) do Reino Unido recue 0,1% em cada um dos dois últimos trimestres deste de 2016.

O que a confirmar-se significará o fim de um ciclo de mais de três anos em que a economia britânica esteve sempre a crescer. Esta previsão divulgada pela Bloomberg esta quinta-feira, 21 de Julho, compara ainda com as projecções anteriores ao referendo que apontavam para um crescimento económico de 0,6% entre Julho e Dezembro. (Jornal de Negocios)

por Nuno Carregueiro

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA