Distrito do Kilamba Kiaxi acolhe hoje “assalto” à febre-amarela

Campanha de vacinação (Arquivo) (Foto: joaquina Bento)

O “Assalto final à febre-amarela” que tem como objectivo imunizar mais de 400 mil luandenses, que não foram abrangidos nas etapas anteriores, acontece hoje, sexta-feira, no município do Kilamba Kiaxi, província de Luanda.

A campanha vai decorrer até 19 de Julho e abrangerá pessoas residentes nos bairros e sectores dos municípios e distritos da Província de Luanda que ainda não foram vacinadas.

Para essa campanha, cujo acto de lançamento contará com a presença do governador de Luanda, Higino Carneiro, e do ministro da Saúde, Luís Gomes Sambo, foram criadas 269 equipas de vacinação.

Os resultados da vacinação contra a doença apontam que 92 porcento da população já foi vacinada desde o início das actividades de imunização, em Fevereiro último, mas a transmissão da doença é evidenciada diariamente nas unidades sanitárias.

A campanha visa imunizar e informar a população sobre o risco da não vacinação, os sinais e sintomas da Febre-Amarela.

As autoridades sanitárias de Luanda apelam por isso a participação de todos, em especial daquelas pessoas que ainda não foram vacinadas, pois a transmissão contínua a ser um risco para economia do país e, principalmente, para a Província de Luanda, visto possuir as principais entradas internacionais, aérea, marítima e terrestre.

A Província de Luanda registou desde o dia 21 de Junho do corrente ano 489 casos confirmados de febre-amarela, com 211 óbitos.

Existem enormes desafios para implementar a vacinação contra Febre-amarela nas 18 províncias angolanas, com destaque para a escassez de vacina contra essa epidemia no mercado mundial, já que a mesma é produzida, no mundo, por apenas quatro laboratórios, o que não permite atender em tempo oportuno as necessidades do país.

Angola não regista, há três semanas, nenhum caso de febre-amarela, o que demonstra uma tendência para o declínio da epidemia.

A febre-amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vectores. As primeiras manifestações da doença são repentinas, como febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vómitos por cerca de três dias.

A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA