Diálogo político suspenso entre governo moçambicano e Renamo

Da esq. para a direita, o presidente moçambicano Nyusi e o chefe da Renamo, Dhlakama (DR)

Os mediadores internacionais decidiram retirar-se das negociações para a paz, entre o governo da Frelimo e a Renamo na oposição, para elaborarem propostas condizentes a um clima de entendimento, ficando interrompido o diálogo político, entre os dois principais partidos, em Moçambique.

Foram os mediadores internacionais no processo de paz entre o governo da Frelimo e o principal partido da oposição, Renamo, que decidiram suspender a sua presença na mesa de negociações, para elaborar propostas que satisfaçam aos dois actores políticos centrais em Moçambique.

Para já, é o diálogo político, que fica assim suspenso, entre a Renamo e o governo, mas o chefe dos mediadores internacionais, Mário Raffaeli, declarou à imprensa, que o interregno será curto e servirá para elaborar propostas satisfatórias às duas delegações moçambicanas.

“Muitas coisas foram levantadas e do lado dos mediadores precisamos discutir um pouco entre nós, para elaborar posições que podem ajudar as negociações.”

Para o chefe da mediação internacional nas negociações de paz, Mário Raffaeli, “o tempo será o mais breve possível; agora não podemos dizer o dia, mas achamos que não será muito tempo.”

O principal ponto de discórdia, entre governo moçambicano e a Renamo, que levou os mediadores a suspender a sua presença nas negociações, continua a ser a exigência da Renamo de governar nas 6 províncias, onde ganhou eleições nas últimas legislativas. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA