Défice no primeiro trimestre ajustado de efeitos sazonais ficou em apenas 0,8% do PIB

(Miguel Baltazar)

O Eurostat publicou dados ajustados de efeitos de sazonais para o défice do primeiro trimestre. Portugal surge com um défice de 0,8% do PIB, longe dos 3,2% efectivos e metade do valor registado na Zona Euro.

No primeiro trimestre do ano o défice público nacional ajustado de efeitos de sazonalidade sobre a actividade económica e as contas públicas ficou em 368 milhões de euros, o equivalente a 0,8% do PIB, um valor que fica longe dos 1.406 milhões de euros efectivos (que correspondem a 3,2% do PIB).

O valor registado por Portugal é menos de metade do défice médio da Zona Euro que ficou nos 1,9% do PIB da região, e compara com 3,2% do PIB do défice ajustado de sazonalidade registado no primeiro trimestre de 2015.

Os ajustamentos de sazonalidade em séries económicos pretendem capturar a dimensão estrutural da sua evolução ajustando a efeitos, positivos ou negativos, que decorram de especificidades da altura do ano a que reportam. Assim, os dados ajustados trimestrais ajustados de sazonalidade, embora distintos em cada trimestre deverão, no conjunto do ano, ser semelhantes aos dados não ajustados.

Portugal tem como objectivo fechar o ano com um défice orçamental de 2,2% do PIB, e o Governo classificou os dados do primeiro trimestre como muito positivos, uma avaliação que foi relativizada pelo Conselho das Finanças Públicas que lembra várias pressões orçamentais para o resto do ano: devoluções de cortes na função pública ao longo do ano, baixa de IVA na restauração no segundo semestre, e fim do regime de duodécimos que vigorou nos primeiros três meses do ano.

Os resultados ajustados de sazonalidade foram divulgados pelo Eurostat no sexta-feira, dia 22 de Julho, que deu conta que “no primeiro trimestre de 2016, o rácio do défice orçamental ajustado de sazonalidade sobre o PIB ficou em 1,6% na Zona Euro, um queda quando comparado com os 2,3% do quarto trimestre de 2015”.

Portugal com a terceira maior dívida pública da UE

O gabinete de estatísticas da União Europeia divulgou ainda os dados referentes ao endividamento público na União. Em Portugal, os 233 mil milhões de euros, correspondem a 128,9% do PIB, o que constitui o terceiro valor mais elevado da União Europeia, e uma queda face aos trimestres anterior (129% do PIB) e homólogo (130,2% do PIB).

“No final do primeiro trimestre de 2016, o rácio de dívida pública no PIB na Zona Euro ficou em 91,7% do PIB, o que compara com 90,7% no final do quarto trimestre de 2015”, avança o Eurostat, que acrescenta que “os rácios mais elevados de dívida pública no PIB no primeiro trimestre de 2016 foram registados na Grécia (176,3%), Itália (135,4%) e em Portugal (128,9%), e os mais baixos foram registados na Estónia (9,6%), Luxemburgo (21,8%) e na Bulgária (30,3%)”, estima o instituto europeu. (Jornal de Negocios)

por Rui Peres Jorge

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA