Defesa de Dilma no Senado será feita por escrito

A presidente afastada Dilma Rousseff, em Brasília, no dia 14 de junho de 2016 (afp_tickers)

A presidente Dilma Rousseff não irá depor na quarta-feira na sessão prevista para sua defesa na comissão do impeachment do Senado.

“A minha defesa amanhã será feita por escrito e lida pelo meu advogado (José Eduardo Cardozo). Estamos avaliando a minha ida ao plenário do Senado, em outro momento”, escreveu Dilma Rousseff em sua conta na rede social Twitter.

A comissão do Senado votará no dia 4 de agosto um relatório não vinculante que será submetido ao plenário, com os 81 senadores, no dia 9 deste mês, de acordo com o cronograma vigente. Para que o processo avance até a sessão final, onde a sentença deverá ser lida, o relatório deverá ser aprovado por maioria simples.

A decisão definitiva será entre os dias 25 e 27 de agosto, poucos dias depois do fim dos Jogos Olímpicos de Rio-2016, quando Dilma Rousseff terá uma nova oportunidade de exercer sua defesa pessoalmente.

Para perder seu mandato, 54 senadores terão que votar por sua saída. Do contrário, o caso será arquivado. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA