Cunene: Inspecção Geral do Trabalho regista mais de 800 infracções laborais

Retrato de trabalhador em pleno exercício laboral (Foto: Angop/Arquivo)

Oitocentos e 17 infracções laborais foram registadas na província do Cunene, durante o primeiro semestre deste ano, pelo Departamento de Inspecção Geral do Trabalho na região, menos 62 em relação a igual período de 2015, disse hoje, quinta-feira, em Ondjiva, o chefe do sector, Domingos Macedo.

Em declarações à Angop sobre actividade do sector, o responsável referiu que a notificação das transgressões resultou de 173 visitas de inspecção realizadas nos seis municípios da província, em instituições públicas e privadas.

Entre as infracções destaca-se a falta de inscrição na segurança social, irregularidades no pagamento de salário, no horário de trabalho e no contrato de trabalho, despedimento sem justa causa, falta de cartão de identificação e de regulamento interno.

Domingos Macedo frisou que o sector recepcionou 33 pedidos de empresas locais para a intervenção na resolução de problemas laborais, envolvendo empregadores e trabalhadores.

Dos quais, 10 casos foram resolvidos e 23 encontram-se em análise na instituição.

O chefe da Inspecção Geral do Trabalho no Cunene fez saber que, a maior das queixas de âmbito laboral, são oriundas de empresas privadas de construção civil. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA