Cuanza Norte: Primeira turbina da central II de Cambambe entra em funcionamento

Cuanza Norte: Barragem de Cambambe (Foto: Diniz Simão)

A primeira unidade de produção de energia da segunda central da Barragem Hidroeléctrica de Cambambe (denominada Cambambe II), localizada sobre o Rio Kwanza, província do Cuanza Norte, arrancou quinta-feira, em acto orientado pelo secretário de Estado da Energia, Joaquim Ventura.

A turbina é a primeira de um grupo de quatro, que compõem a central II do Complexo Hidroeléctrica de Cambambe, com uma capacidade de produção de 175 megawatts cada e vai funcionar, em regime experimental, por um período de 20 dias sincronizada à rede.

Após a sincronização da primeira turbina, ainda fora da rede de transportação, as outras três vão ocorrer nos meses de Agosto, Outubro e Dezembro, altura em que as quatro turbinas deverão produzir 700 Megawatts (Mw) de energia eléctrica.

O arranque da referida unidade foi feito pelo governante depois de ter acionado o “link”, num painel completamente automatizado.

Na ocasião, o director de contracto da construtora brasileira Odebrecht, a responsável pela execução das obras do empreendimento, Gustavo Belitardo, disse tratar-se de um momento “muito importante” a entrada em funcionamento da primeira unidade geradora de energia da referida central, por tratar-se de uma obra de grande gabarito, que exigiu muito sacrifício, dedicação e empenho, não só dos expatriados, como dos jovens angolanos inseridos no projecto.

Ressaltou ainda o facto de se ter cumprido o cronograma da obra, que definia o 30 de Junho de 2016 como sendo a data para entrada em serviço, em regime experimental, da primeira turbina da central ll, o que veio a acontecer sem grandes constrangimentos.

“É para a Odebhrecht e associados um grande feito, pois demonstra o espírito de união entre os expatriados envolvidos nos trabalhos e o Governo de Angola, que levou avante o projecto”, referiu.

Por seu turno, o director de exploração da centra II de Cambambe, Gerson Cordeiro, a trabalhar há cinco anos no sector de energia, reconheceu a magnitude do projecto e destacou o facto de o mesmo absorver jovens como grande parte da mão- de- obra:

“Estamos satisfeitos e isso exige de nós maior responsabilidades, para que possamos zelar os equipamentos postos à nossa disposição, fazendo com que reforcemos a confiança já granjeada junto das estruturas superior, em observância ao velho slogan segundo o qual o futuro pertence aos jovens”, sublinhou.

Mil e 650 dias, cerca de quatro anos e meio foi o tempo transcorrido desde o início das obras até ao arranque da primeira turbina.

A segunda central da Barragem de Cambambe integra a segunda fase do projecto de modernização e ampliação da referida central hidroeléctrica, cujas obras subdivididas em três fases tiveram início em 2009, com a reabilitação da antiga central constituída por quatro turbinas e o incremento da potência das máquinas, de 45 para 65 Mw, fruto do aumento da quota de água na albufeira.

Iniciadas em 2011, as obras de edificação da central II contemplaram o alteamento da queda que passou de 100 para 130 metros de altura, a construção de uma nova central com quatro grupos geradores de 175 Mw cada, perfazendo uma capacidade total de 700 Mw, que serão adicionados aos 260 Mw da central número um, o que vai permitir a geração de 960 Mw de energia, no seu conjunto, após a sua conclusão.

A nova central foi edificada num sistema duplo, sendo uma parte a céu aberto e outra subterrânea.

A terceira fase do projecto contempla também a construção de três novas subestações de transformação de energia, com capacidades 400, 220 e 60 kilovolts (Kv), que irão suportar o sistema de conexão entre Cambambe um e dois, Capanda e futuramente com a barragem de Laúca, também em construção no mesmo curso.

Quatro mil 772 trabalhadores, maioritariamente angolanos, asseguraram os trabalhos realizados 24 horas ao dia, em três turnos.

Quando concluída, Cambambe irá produzir um total de 960 Mw, tornando-se assim na segunda maior barragem de Angola, depois de Laúca, que vai produzir dois mil 67 Mw.

A barragem de Cambambe, no rio Cuanza, a 200 quilómetros de Luanda, começou a ser construída em 1958 e foi inaugurada a 6 de Outubro de 1963 pelo então Presidente português Américo Thomaz.

Construída pela Hidroeléctrica do Zêzere e de investimento totalmente privado, a barragem surgiu na sequência das negociações para a instalação em Angola de uma fábrica de alumínio, com elevadas necessidades de consumo de electricidade. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA