Cuanza Norte: Mulher acusada de matar ex-marido à facada

(DR)

Uma mulher, cuja identidade não foi precisado, é acusada de matar, na noite de sexta-feira, o ex-marido com uma faca, em Camabatela, município de Ambaca, província do Cuanza Norte, após desentendimentos, informaram hoje à Angop fontes policiais.

O homicídio ocorreu na residência da acusada, situada no bairro Talambanza (periferia da vila de Camabatela), onde a vítima se deslocara momentos antes com o propósito de ver a filha que se encontrava doente.

A vítima, identificado por Joaquim António Katyavala, de 39 anos de idade, foi ferida na região do tórax, por volta das 22 horas.

O mesmo ainda tentou procurar por ajuda, mas sem sucesso, acabando por cair na rua onde foi, minutos mais tarde, socorrido por elementos da Polícia Nacional que o levaram ao hospital, onde acabou por morrer por não resistir aos ferimentos.

Manuel Luamba, vizinho da acusada conta que ouviu momentos antes do crime, o malogrado chegar a casa da ex-mulher batendo a porta e entrado, de onde se irrompeu, posteriormente, uma discussão entre o casal.

Segundo a testemunha, a vítima pretendia saber da ex-mulher a razão pela qual esta dificultava o seu contacto com a filha e solicitar a devolução de bens que supostamente tinham sido vendidos pela acusada, facto que poderá estar na base do desentendimento.

Contactado pela à Angop, o comandante municipal de Ambaca da Polícia Nacional, Timóteo Cassinda, disse que a suposta homicida encontra-se em fuga com os filhos para parte incerta e que os efectivos da corporação prosseguem com as diligencias a fim de a localizar e detê-la.

Um amigo da vítima, Alegria Victor, que se mostrou chocado com o sucedido, disse que a convivência do casal foi sempre marcada por desentendimentos, agudizando-se nos últimos tempos, face a recusa deste em regressar ao convívio com a ex-mulher, que, entretanto, já se encontrava grávida de um outro homem.

Alegria Victor descreve a vítima como valente e de forte compleição física, por isso desconfia que a mulher terá contado com ajuda de alguém no cometimento do crime. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA