Cuanza Norte: INAD destrói mais de 13 mil engenhos

Engenhos explosivos destruidos pelo Instituto Nacional de Desminagem (Foto: Rosário Miranda)

Treze mil e 686 engenhos explosivos não detonados foram destruídos quarta-feira, no município do município de Samba Cajú, província do Cuanza Norte, pelo Instituto Nacional de Desminagem (INAD).

Em declarações à Angop, nesta quinta-feira, em Ndalatando, o chefe das operações do INAD no Cuanza Norte, Xitavi Lemos, explicou que parte dos engenhos destruídos foram descobertos, recentemente, num esconderijo de armas, na Fazenda Cuso.

Os restantes, precisou, foram removidos do perímetro da reserva fundiária, área da estação de captação de água e no espaço para a construção do futuro hospital municipal.

Disse constar do material destruído, 13 mil e 260 munições diversas, 265 cunhetas de munições de 14 milímetros (mm) dos tipos H-7, HZ-17 e HZ-14, outras 55 do tipo AG-17, 87, 87 obuses de RPG-7 e três outros de morteiro de 81 mm.

Constam ainda dos engenhos detonados, todos em estado obsoleto, 13 munições de artilharia, um obus de 81 mm, três minas anti pessoal, um bloco de TNT, duas armas, sendo uma do tipo RPG-7 e outra PKT, assim como uma espoleta de mina do tipo muve-2.

Por seu turno, o chefe do Departamento de desactivação de engenhos explosivos do INAD no Cuanza Norte, Koxi Sukama, disse, que 605 mil e 938 metros quadrados foram limpas das minas, desde o início do processo de desminagem, no município do Samba Caju, que já vai na sua segunda fase.

Sem avançar a data do arranque da acção contra minas naquela circunscrição, acrescentou que nesta altura os trabalhos de desminagem prosseguem ainda no perímetro do centro de captação de água, reserva fundiária e no espaço do futuro hospital municipal. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA