Cuanza Norte: Alunos do ensino primário com dificuldades de leitura e escrita

Alunos do ensino primário (Foto: Diniz Simão)

Um estudo realizado recentemente no país pelo Ministério da Educação concluiu que 85 por cento dos alunos das classes inicias do ensino primário têm dificuldades de leitura e escrita, informou, no município de Quiculungo, província do Cuanza Norte, o chefe de Departamento de Estudos, Análise e Projectos da Direcção Nacional de Inspecção Escolar, Andrade Francisco Sebastião.

O responsável fez tal revelação quando falava numa acção formativa dirigido a 17 professores de diferentes escolas de Quiculungo no âmbito do Projecto Aprendizagem para Todos (PAT), promovida pela Direcção Nacional de Inspecção Escolar, em parceria com órgão que superintende o sector da educação no município.

Esclareceu que o projecto é fruto de um diagnóstico feito no subsistema do ensino primário, em 2010, através de testes de avaliação da leitura e escrita nas classes iniciais, com o apoio do Banco Mundial e financiado pelo governo russo.

Acrescentou que o inquérito abrangeu alunos e professores da 3ª classe de três escolas em igual número de municípios do país, tendo-se concluído que 85 por cento de discentes destas classes não sabiam ler nem escrever.

Segundo o responsável, o inquérito apontou dificuldades inerentes aos professores, turmas com número elevado de alunos, administração de aulas em locais inadequados, entre outros, como algumas das causas do problema.

Andrade Sebastião, que dirigiu a formação, disse que o PAT é um projecto de âmbito nacional que tem por objectivos melhorar os conhecimentos e competências dos professores e a gestão escolar.

Visa ainda desenvolver um sistema de avaliação sistemática dos alunos e vai beneficiar um total de 500 mil discentes de 870 escolas primárias, 18 mil professores do mesmo nível de ensino e 108 formadores em todo o país.

Durante a formação, os participantes tomaram conhecimento sobre os objectivos de desenvolvimento do PAT, as componentes do PAT e seus objectivos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA