Costa ganha avanço a Passos

António Costa e Catarina Martins (CM)

Se as eleições fossem hoje, o País não precisaria de um longo processo negocial para constituir Governo. De acordo com a sondagem CM/Aximage, PS e Bloco de Esquerda juntos conseguiriam 49% dos votos, o que poderia ser suficiente para alcançarem a maioria absoluta de deputados no Parlamento. Já a direita continua em queda: a ligeira subida do CDS (+0,7%) foi absorvida por um PSD em queda livre (recuou 1,6 pontos num mês).

A boa notícia para o Executivo é conseguida à custa da subida do PS. O partido de António Costa reúne 39% das intenções de voto, quase mais sete pontos percentuais do que registou nas legislativas do ano passado. Já o Bloco de Esquerda mantém-se na casa dos 10% e a CDU cresce 0,1 pontos percentuais para 6,8%. Ou seja, BE e PS juntos conseguem quase metade dos votos, o que será suficiente para conseguirem os 116 mandatos que lhes dão a maioria absoluta.

Já no que diz respeito à avaliação dos líderes partidários, a popularidade de António Costa cresce dos 12,9% em junho para os 13,7% este mês. Catarina Martins desce ligeiramente (0,3 pontos) e Jerónimo de Sousa tem crescimento tímido (0,4 pontos).

À direita, Assunção Cristas destaca-se nas perdas de popularidade ao recuar 0,7 pontos. Ainda assim, a líder dos democratas-cristãos está bem acima do último classificado: Passos Coelho segue com a popularidade em baixa e afunda mais 0,2 pontos para 6,5%. O presidente do PSD tem menos de metade da cotação de António Costa.

O primeiro-ministro segue em estado de graça. 56,8% dos eleitores diz que Costa é a melhor escolha para chefe de Governo contra os 31,6% que preferem Passos Coelho. O índice de expectativas de António Costa está ao nível mas elevado de sempre: mais de oito em cada 10 eleitores acham que o Executivo está a agir melhor ou igual do que esperava. (CM)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA